Filme sino-francês abre Festival de Moscou

37° edição da mostra começa nesta sexta-feira (19), com elogio ao cinema latino-americano e retrospectiva argentina. Além de título de Jean-Jacques Annaud, concorrem produções do Japão, Irã, Sérvia, França, Líbano e outros.

O filme sino-francês Wolf Totem (2015), de Jean-Jacques Annaud, abre nesta sexta-feira (19) o 37° Festival Internacional de Cinema de Moscou. A produção mostra a viagem de um estudante chinês por um território de pastores no interior da Mongólia para tratar da necessidade de preservação do meio ambiente.

"Essa questão é muito aguda na China, e fiquei muito tocado quando os chineses me convidaram a participar", disse o diretor.

"O cinema existe onde existem problemas", disse o presidente do festival, Nikita Mikhalkov na coletiva de abertura.

"No ano passado, presidi o júri do Festival de Cinema de Xangai e assisti a muitos filmes locais de alta qualidade. Em pé de igualdade com esses, estava o cinema da América Latina. Os talentos mais promissores do setor cinematográfico estão nessas duas regiões. Por isso, temos na programação muitos filmes chineses e uma retrospectiva completa do cinema argentino", disse Mikhalkov.

Neste ano, o júri da mostra é composto pela atriz britânica Jacqueline Bisset, pelo produtor argentino Fernando Sokolowicz, pelo roteirista alemão Fred Breinersdorfer, pelo diretor russo Aleksêi Fiodortchenko, e pelo produtor húngaro Andrew G. Vajna e liderado pelo francês Annaud.

Na competição principal do festival concorrem os filmes: "Armi Alive!" (Finlândia), "Arventur" (Rússia), "Being Good" (Japão), "Enclave" (Sérvia, Alemanha), "Heroes of Evil" (Espanha), "Losers" (Bulgária), "My Good Hans" (Rússia, Alemanha, Grã-Bretanha), "Orleans" (Rúsia), "Rosita" (Dinamarca), "The Road" (Líbano), "The Sea and The Flying Fish" (Irã) e "Toll Bar" (Cazaquistão). 

Filme de abertura "Wolf Totem" Fonte: YouTube

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.