Balé Nacional da Rússia apresenta clássicos em turnê no Brasil

“O Lago dos Cisnes”, de Piotr Tchaikovsky Foto: M.Loginov

“O Lago dos Cisnes”, de Piotr Tchaikovsky Foto: M.Loginov

Repertório da trupe é composto por “O Lago dos Cisnes", “Dom Quixote” e o inédito “Sheherazade".

O Balé Nacional da Rússia (Russian State Ballet), dirigido por Viatcheslav Gordeev, fundador e coreógrafo da companhia e ex-primeiro dançarino do Bolshoi, iniciou uma turnê em longa temporada pelo Brasil.

A companhia se apresenta entre os dias 30 de maio e 4 de julho em diversas cidades, incluindo 10 capitais - entre elas, Porto Velho e Teresina, além do Distrito Federal e de cidades como Caxias do Sul, Pelotas, Lajeado e Novo Hamburgo. Existe ainda a possibilidade de a companhia estender a temporada e incluir mais 11 cidades em seu roteiro, antes de seguir viagem pela América Latina.

“A cada ano, trazemos um espetáculo diferente ao Brasil, em um trabalho de popularização do balé; é um desafio viajar por todo o país com equipamento e 40 pessoas [entre dançarinos e pessoal da produção]”, disse à Gazeta Russa o responsável pela excursão da trupe, o produtor Augusto Stevanovich.

Os dançarinos no elenco são quase todos russos, à exceção de duas japonesas, uma italiana e um ucraniano. Já os figurinos e boa parte do cenário, totalizando quase três toneladas de bagagem, vêm exclusivamente da Rússia.

“O Lago dos Cisnes” Foto: M.Loginov

O repertório é composto por três espetáculos: “O Lago dos Cisnes”, de Piotr Tchaikovsky, “Dom Quixote”, de Ludwig Minkus, e o inédito “Sheherazade”, de Rímski-Korssakov.

Entre os dançarinos, os destaques são Anton Korsakov, da companhia Kirov-Marínski, e a bailarina Valéria Vassilieva, do Teatro Kremlin.

Clássicos

A coreografia mais apresentada durante a turnê será “O Lago dos Cisnes”. Trata-se de um clássico que conta a história de uma princesa transformada pela magia de um feiticeiro; durante o dia, ela toma a forma de um cisne e, à noite, volta a assumir formas humanas.

Outra peça tradicional é “Dom Quixote”, história do aventureiro fidalgo que, em companhia de Sancho Pança, vê suas fantasias serem confrontadas com a realidade de forma humorística.

“Dom Quixote” Foto: M.Loginov

Por fim, o espetáculo “Sheherazade” conta a história de um rei da Pérsia que, temendo ser traído por suas amantes, manda matá-las após cada noite de amor.

O Balé Nacional da Rússia foi fundado há mais de 30 anos e, ao lado do Kirov e do Bolshoi, é uma das mais prestigiosas companhias russas de dança. A trupe costuma excursionar regulamente pela América Latina e tem vindo assiduamente ao Brasil. Esta é a quinta vez que o balé se apresenta no país desde 2009.

Para a diretora executiva da turnê, Iúlia Simonova, com as vindas constantes da companhia o público passou a valorizar o elevado nível do balé russo. “Trata-se de um balé bem clássico, onde a postura e os movimentos de braços e de pernas seguem a escola do [Balé] Bolshoi”, disse à Gazeta Russa.

“Sheherazade” Foto: Jack Devant, Viktoria Tereshkina, Danila Korsuntsev

Simonova sublinha que o diretor Gordeev é um perfeccionista e que quem for aos espetáculos vai presenciar o típico bailado russo.

“A técnica e a disciplina são únicas e tão elevadas que se pode ver que quem dança esse tipo de balé clássico de nível tão alto tem o corpo preparado para qualquer coisa”, diz.

A diretora acrescenta que os espetáculos do Balé Estatal Russo não são apenas uma forma de entretenimento. “É uma arte para pensar, um show delicado, onde toda a paciência e o treinamento da escola russa de dança estarão presentes”.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.