Filme baseado na vida de Dovlatov estreia no Kinotauro

Festival supera crise iniciada com corte de subsídios estatais e abre sua 26° edição em Sôtchi. Quatorze filmes disputam prêmio, entre produções de diretores russos iniciantes e renomados.

Com o novo título de Stanislav Govorukhin, "Konets prekrásnoi epókhi" (em tradução livre do russo, "Fim de uma época magnífica"), o programa principal do 26° Kinotauro iniciou-se na noite de domingo (7) em local já conhecido do público: o Teatro de Inverno da cidade de Sôtchi, no sul da Rússia.

Baseado na biografia do escritor russo Serguêi Dovlatov, o filme de abertura conta a história do jornalista Andrêi Lentulov, que tenta encontrar seu espaço na profissão e na vida.

É evidente que "Fim de uma época magnífica" não foi escolhido por acaso. A edição do Kinotauro de 2014 pode ser considerada um "turning-point" do evento: ainda circulam boatos sobre o fim do festival, a crise econômica diminuiu significativamente o volume de subsídios estatais e privados, e, devido aos atuais planos de financiamento cinematográfico, com o Ministério da Cultura apoiando sobretudo projetos histórico-militares, os filmes de arte se reduzem significativamente no país.

"Neste ano, a comissão de seleção do festival assistiu a 81 filmes", disse a diretora de programação do evento, Sitora Alieva, em coletiva de imprensa sobre a mostra. "Acredito que uma quantidade tão considerável de filmes não deverá aparecer no Kinotauro em breve. Devido aos motivos econômicos conhecidos, o Ministério da Cultura reduziu drasticamente o financiamento de filmes cinematográficos de ficção. A julgar por esse panorama, no ano que vem a comissão de seleção para o Kinotauro deverá assistir à metade da quantidade de filmes."

Em 2015, quatorze filmes disputam o prêmio, entre produções de diretores russos iniciantes e renomados.

Estreantes com toque profissional

O prêmio principal deste ano tem praticamente a mesma quantidade de estreantes e participantes já recorrentes, o que, junto à diversidade sem precedentes de gêneros cinematográficos apresentados, fomenta o interesse do auditório profissional pela premiação.

Entre os estreantes, dois títulos já participam de seções paralelas no Festival de Berlim: o nostálgico drama "Pionêri-guerói" ("Heróis-pioneiros"), da atriz Natália Kudriashova, e o poético "Tcháiki" ("Gaivotas"), de Ella Manjeeva, no qual a protagonista vive uma tragédia pessoal que tem como pano de fundo a paisagem surpreendente da Kalmíkia, república no sudeste russo.

"Tcháiki" ("Gaivotas"), de Ella Manjeeva Foto: kinopoisk.ru

Das estepes da Kalmíquia, o espectador é lançado à floresta de taiga no filme "Nakhodka" ("Achado"), do também estreante nas telonas Víktor Dement. O título conta a história de um inspetor de pesca, Trofim Russanov, que acaba sozinho na taiga bloqueada pela neve.

Já em "No comment", também título de estreia, o diretor Artiom Temnikov, analisa um tema político atual. Baseado em fatos reais, o filme conta a história de um jovem alemão que é atraído por islamitas radicais e vai parar na Tchetchênia.

Mas as duas estreias mais promissoras do Kinotauro são as dos roteiristas Denis Rodimin e Mikhail Mestetski. Nem a diretora de programação do festival se atreveu a definir o gênero de "Trapitchini Soiuz" ("União de Trapos"), de Mestetski, que traça a trajetória do silencioso adolescente Ivan, que "muda após conhecer três garotos muito estranhos".

Já "Gost" ("Hóspede"), de Rodimin, foi classificado por Sitora Alieva como um "eco-thriller", e conta a história de jovens geofísicos que acabam no centro de acontecimentos inexplicáveis do ponto de vista científico.

A comédia "Páren s náshego kládbisha" ("O rapaz do nosso cemitério"), de Iliá e Anton Tchijikov, como se pode inferir, também trata de eventos improváveis e traz protagonistas deste e de outro mundo.

Quase tudo sobre amor

O diretor Vassíli Sígarev arrisca-se na comédia neste Kinotauro. Sígarev levou o prêmio principal do festival em 2009 com o drama social "Voltchok" ("Pião") e na categoria "Direção", em 2012, com "Jít" ("Viver"). Assim, em 2015 o diretor não deve sair de mãos abanando com "Straná OZ" ("País de OZ").

Sígarev logo definiu sua "comédia de Ano Novo", que inicialmente intitulou de "Zanimátelnaia Ekológuia" ("Ecologia Interessante"), como "anti-árvores de Natal". Agora, ele diz em suas entrevistas que o título não tem tanto a ver os livros de fantasia de L. Frank Baum, como com o número telefônico das ambulâncias na Rússia, já que a letra "Z" no alfabeto cirílico se parece com o número "3".

Aleksêi  Fiodortchenko também transita por gêneros diversos. Em Sôtchi ele apresenta o filme "Ângueli Revoliútsi" ("Anjos da Revolução") , que retrata artistas vanguardistas que embarcam em uma viagem para educar xamãs das etnias nenet e khânti. O filme de Fiodortchenko estreou no Festival de Rotterdam e gerou resenhas admiradas da crítica - tanto russa, como estrangeira.

O vencedor do último Kinotauro, Aleksandr Kott, cujo filme "Ispitânie" ("Experimento") tratava, literalmente, de um amor sem palavras, agora entra no campo dos sentimentos "cegos". Em seu novo drama "Insight", ele mostra um homem que perdeu a visão e precisa recomeçar a vida do zero.

Trailer do filme "Tchaika" Fonte: YouTube

Vencedora do prêmio de melhor diretor da edição passada do evento, Anna Melikian apresenta "Pro Liubov" ("Sobre o Amor"). No filme, o tema é debatido pelas maiores estrelas do cinema russo contemporâneo: de Iúri Kolokolnikov e Evguênia Tsigânova a Renata Litvinova e Vladímir Mashkov.

O amor também está no centro da narrativa de outros três títulos. "14+", de Andrêi Zaitsev, que também esteve nas sessões paralelas do Festival de Berlim, fala sobre o primeiro amor de um adolescente.

Já "Sindrom Petrúshki" ("Síndrome da Salsinha"), de Elena Khazanova, discorre sobre o amor avassalador entre criador e obra - interpretados, respectivamente, por Evguêni Mironov e Tchulpan Khamatova.

"Spassênie" ("Salvamento"), de Ivan Viripaev, conta sobre o amor a Deus. A protagonista, a freira católica polonesa Anna, vai servir em uma paróquia no Himalaia.

 

Versão reduzida de material publicado originalmente pela agência Tass.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.