Restaurantes inovam em receitas de panquecas para celebrar Maslenitsa

Com novas versões, panquecas da Maslenitsa anunciam o fim do inverno Foto: serviço de imprensa

Com novas versões, panquecas da Maslenitsa anunciam o fim do inverno Foto: serviço de imprensa

De 16 a 22 de fevereiro, os russos celebram a Maslenitsa – ou “despedida do inverno” – comendo panquecas. Não é à toa que, hoje em dia, cada vez mais restaurantes tentam impressionar os clientes com cardápios especiais para o feriado.

A Maslenitsa ou “despedida do inverno” é uma semana tradicional de diversão e festas que antecede a Grande Quaresma de 40 dias antes da Páscoa. Antes era também – e para algumas pessoas ainda é – uma boa oportunidade de comer tudo antes da longa “dieta”.

O prato principal na mesa da Maslenitsa são panquecas com caviar e peixe. A carne, considerada non grata, era permitida apenas no último dia antes da Quaresma.

Como atualmente não há tantas pessoas que seguem o jejum de Quaresma, a Maslenitsa acabou virando uma desculpa para fazer panquecas e reunir pessoas.

Hoje em dia, cada vez mais restaurantes tentam impressionar os clientes com cardápios especiais para o feriado. “Aqui é possível experimentar panquecas de diferentes tipos de farinha: trigo, cereal, e as sem glúten, como, por exemplo, de grão de bico e lentilha”, diz a chef do restaurante Poyêkhali, Elena Chekalova. “Também temos lasanha e a pirâmide de panquecas, e  panquecas doces com suflê de laranja.”

Do restaurante para casa

Segundo a chef, muitos pratos oferecidos podem ser facilmente preparados em casa.  “Para fazer a lasanha, por exemplo, é preciso selecionar qualquer receita italiana e, em vez de massa tradicional, usar panquecas. O molho pode ser à bolonhesa ou de berinjela”, explica. Neste prato, é recomendável usar panquecas finas.

Outra ideia é fazer panquecas grossas com recheios ou também servi-las em combinação com panquecas finas. “Planejamos fazer uma pirâmide de panquecas com salmão. Como base usaremos uma panqueca grossa. Em cima coloca-se um recheio e cobre-se com uma panqueca fina. Em seguida, tudo vai para o forno”, diz Chekalova.

Para ficar mais bonita, a chef recomenda espalhar molho holandês ou bechamel sobre a pirâmide. “Também fica gostoso salmão sobre uma panqueca grossa com adição de mingau de milho. O peixe é então coberto com um molho a base de queijo e vai ao forno por uns três minutos.”

Versões exóticas

O chef do restaurante Ragout, Aleksêi Zimin, também acredita que é possível obter um sabor original com o uso de diferentes tipos de farinha. “Antigamente as panquecas eram feitas de massa tradicional, mas, depois que a globalização atingiu a cozinha, descobriu-se que o mundo das panquecas é muito rico”, diz.

“Podem ser feitas panquecas de arroz, panquecas indianos, etc. E os recheios também podem ser bastante diversificados”, continua Zimin. “Não são só os produtos habituais – ovos, creme de leite e geleia - como também várias mousses, inclusive as de queijo”.

Já Andrei Orlov, que comanda a cozinha do Maksim bar, garante que o seu restaurante oferece o produto mais original durante o feriado: panquecas pretas. “Faço panquecas pretas com carne de boi. São feitas de trigo com adição de tinta de sépia. Por si, a tinta tem um gosto salgado do mar, mas quase não se sente, porque é preciso bem pouco para colorir a massa”, conta.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.