Uma viagem diferente ao passado

Caça a cavalo de Podmoskóvie, nos arredores de Moscou, recebe anualmente cerca de 15 mil pessoas  Foto: strana.ru

Caça a cavalo de Podmoskóvie, nos arredores de Moscou, recebe anualmente cerca de 15 mil pessoas Foto: strana.ru

Os organizadores da caça a cavalo de Podmoskóvie (região que engloba os arredores de Moscou) começaram vivendo nos estábulos e dormindo no estrume. Agora já recebem anualmente em seu rancho cerca de 15 mil pessoas.

Uma centena de pessoas a cavalo se alinha numa formação ordenada nos limites de um campo outonal inclinado: as senhoras, como amazonas, estão de vestido, e os cavaleiros trajam casacos quentes e gorros de pele. Ao sinal do caçador-chefe, a formação avança, passando o campo a pente fino em busca da caça.

“Lebre!”, se escuta de repente alguém gritar.

Esquecendo o casaco, a saia longa, o chapéu e outros acessórios do século 19, os cavaleiros se lançam a galope através do campo. Em três saltos, a lebre atinge o barranco de grama alta e desaparece da vista dos perseguidores.

Foto: strana.ru

Há 18 anos que o povoado de Issavitsi, nos arredores de Moscou, atrai os amantes da equitação e do turismo ativo. Em 1996, Evguêni Matuzov, o caçador-chefe e organizador da caça a cavalo, terminava a Faculdade de Zootecnia da Universidade Agrária Russa Timiriazev e escrevia a sua tese de diploma sobre cavalos. Paralelamente, se interessava pela reconstrução histórico-militar da Campanha da Rússia de 1812 e, juntamente com quatro amigos, pegava cavalos nos estábulos dos arredores de Moscou para a reconstrução da batalha de Borodino.

“Eram verdadeiras pilecas, mas eram melhor do que nada”, diz rindo. “Nós vestíamos uniformes de ulanos [correspondente a lanceiros], montávamos neles e entrávamos orgulhosamente em Borodino, onde participávamos das batalhas de cavalaria.”

Quando Evguêni descobriu que esses estábulos seriam demolidos, e os cavalos enviados para o abate, ele e seus colegas de classe juntaram dinheiro (cerca de US$ 40 mil) e compraram todos os cavalos.

Condutores no tempo

Hoje, Evguêni é o diretor-geral da base equestre turística Avanpost e fundador do turismo de imersão em nosso país. O seu rancho é visitado por mais de 15.000 pessoas por ano. Só para caçar vêm 300 cavaleiros anualmente. Antes do início do programa e ainda no campo, Evguêni explica a todos as regras da caça.

Foto: strana.ru

“Vocês devem se alinhar em uma fileira na beirada do campo, à distância de um cavalo uns dos outros, e manter sempre essa distância para a lebre ou a raposa não escaparem pelo meio de vocês. Sua tarefa é vasculhar o campo num ritmo igual e em silêncio. Sigam os movimentos das minhas mãos”, mostre Evguêni com gestos e acenos simples.

A "caça com cães" é sazonal. Só acontece no outono e no inverno. De maio até o fim do outono o Avanpost só organiza passeios a cavalo, que podem ter a duração de um dia até duas semanas. No verão há o festival “Oeste Selvagem”, que antecede a semana mais popular do programa da “Coboiada”. Os participantes são divididos em grupos –índios, caubóis e gangsters equipam o acampamento e todos os dias recebem novas tarefas do organizador, tendo que lutar entre si para alcançar o objetivo.

“É interessante observar os novatos que participam pela primeira vez dos programas” diz Evguêni. “No início, eles não sabem sequer de que lado devem se aproximar do cavalo para montar. Mas uma semana depois já estão inseparáveis do animal. Comem, bebem, correm e dormem junto com ele. Se você chama pela pessoa, ela se vira juntamente com o seu cavalo. Quando chega a hora de regressar para a cidade, muitos deles se vão abaixo, porque no jogo as pessoas soltam as rédeas, encontram o seu verdadeiro eu e não querem ter de voltar para o marasmo do escritório.”

Únicos

Não há praticamente mais ninguém na Rússia oferecendo este tipo de programa que inclui cavalos e uma viagem para o passado. O organizador submerge as pessoas em uma outra realidade e a sua tarefa é ensiná-las a não atuar no papel dos outros, mas a se revelarem a si mesmas, a libertarem o seu subconsciente, a se lembrar do seu passado e a permiti-las viver um pequeno pedaço desse passado nas mesmas condições em que ele foi de fato vivido.

Foto: strana.ru

“O turismo não deve ser apenas passivo, com o turista deitado em uma toalha na praia”, diz Evguêni. “O principal objetivo das férias é a mudança de atividade. A questão não está em  voar para longe ou para um local exótico. O principal é que o indivíduo não faça nas férias as mesmas coisas que faz no seu dia a dia. Se assim for, haverá um ‘reset’ do cérebro. Em cada um dos nossos programas os participantes fazem as suas pequenas descobertas.”

Como chegar

Na estação ferroviária Bielosrusskaia, pegue o trem até Mojaisk.  O tempo de viagem varia de uma hora e meia a duas horas. Depois, é preciso pegar um táxi até a base Avanpost.

O preço de um passeio de duas horas é de 1.500 rublos (cerca de US$ 42) e de três horas, 2.000 rublos (cerca de US$ 56).

Os passeios a cavalo no Avanpost começam às 11h, às 14h e às 17h. Para montar não são necessárias roupas ou habilidades especiais. É aconselhável chegar 30 minutos antes do início do passeio para uma pequena reunião de instrução. O preço de um passeio a cavalo semanal varia de acordo com a época do ano. ( http://bezpovoda.ru)

 

Publicado originalmente pelo strana.ru 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.