As donzelas nobres de ontem e hoje

O Internato das Pupilas se baseia na experiência dos institutos pré-revolucionários de formação de donzelas nobres Foto: Iliá Pitalev / RIA Nóvosti

O Internato das Pupilas se baseia na experiência dos institutos pré-revolucionários de formação de donzelas nobres Foto: Iliá Pitalev / RIA Nóvosti

A Rússia possui hoje cinco escolas que formam "donzelas nobres" como nos tempos do império. A Gazeta Russa conta quais eram as instituições durante o Império Russo e o que elas ensinam hoje.

Há 250 anos, em 1764, por decreto da imperatriz russa Ekaterina 2a, foi criado na Rússia o primeiro Instituto de Donzelas Nobres –o Smólni, em São Petersburgo. Sua função era "dar ao Estado mulheres instruídas, boas mães, membros úteis na família e na sociedade".

Era o que dizia o decreto imperial.

O Instituto aceitava meninas até seis anos de idade, que depois tinham pela frente 12 anos de aprendizagem. De acordo com os estatutos, os pais deveriam ter, no mínimo, a patente de coronel e serem conselheiros de Estado. Também eram aceitas as filhas da nobreza hereditária ante o pagamento de uma taxa anual. Todas elas eram preparadas para a vida na corte.

O programa de ensino incluía literatura russa, geografia, aritmética, história, línguas estrangeiras, música, danças, desenho, etiqueta e diferentes tipos de lides domésticas. As meninas viviam segundo uma rotina diária bem rígida e só nos finais de semana e feriados podiam ver a família e apenas na presença da diretora. Até o dia da sua formatura, não podiam deixar a instituição por vontade própria nem a pedido da família. Com estas medidas, a imperatriz pretendia arrancar as alunas do habitual ambiente familiar e criar uma "nova geração de pessoas".

Após a morte da imperatriz, a idade de entrada no instituto aumentou (para nove anos) e as meninas começaram a ser preparadas para serem futuras esposas de militares. Estas deveriam ser mulheres instruídas, não apenas capazes de educar filhos, mas de conseguir manter uma conversa em sociedade.

O Instituto Smólni Foto: Lori/Legion Media

O Instituto Smólni funcionou até a revolução de 1917. Dele saíram mulheres bem conhecidas como Maria Budberg (a paixão de Maksim Górki e agente da NKVD), a escritora Nina Berberova e Maria Dobroliubova (pedagoga, enfermeira e revolucionária).

No total, funcionavam no Império Russo 12 institutos do tipo, situados em diferentes cidades: na distante Sibéria (Irkutsk), nos Montes Urais (Orenburg) e na parte europeia (Kharkov).

Descendência nobre de militares

Hoje é possível encontrar cada vez com mais frequência anúncios de abertura de classes de meninas para estudar em escolas ou cursos preparatórios de donzelas nobres. A maior instituição desse tipo continua sendo o Internato das Pupilas, sob a alçada do Ministério da Defesa da Federação Russa, fundado em 2008. Ele se baseia na experiência dos institutos pré-revolucionários de formação de donzelas nobres – as condições de entrada, a lista de itens e a agenda diária de trabalho permaneceram as mesmas.

Existem hoje na Rússia cinco instituições de ensino que formam donzelas nobres. São elas:

- Internato das Pupilas de Moscou - Ministério da Defesa da Federação Russa

- Internato das Pupilas de São Petersburgo - Ministério da Defesa da Federação Russa

- Instituto de Donzelas Nobres da Universidade Natália Nesterova (Moscou)

- Academia de Donzelas Nobres - Corpo de Cadetes de Novosibirsk

- Escola-Internato Republicana Mariinski Para Meninas, na República da Buriátia

Na maior instituição de ensino deste grupo –o Internato das Pupilas sob a alçada do Ministério da Defesa da Federação Russa– estudam atualmente 740 alunas, contando com a classe de 2013.

 

Para ser aceita no Internato das Pupilas, a menina deve ser de uma família de "militares que estejam prestado serviço em guarnições militares remotas, de famílias monoparentais e famílias com muitos filhos e ser filha de militares mortos e combatentes condecorados pelo seu cumprimento do dever militar".

"Nem eu, nem meus pais sabíamos que tipo de educação era dado em tais instituições. A minha inscrição nesse instituto foi mais uma decisão dos meus pais. Nós vivíamos em uma guarnição militar bem remota e eu mal imaginava onde iria estudar", diz uma aluna já graduada pelo Internato das Pupilas do Ministério da Defesa da Federação Russa, estudando atualmente em uma das universidades militares de Moscou.

"As escolas desse tipo estão adaptadas ao ambiente social moderno –nós de modo algum isolamos as meninas. Além disso, lecionamos disciplinas que as escolas comuns não lecionam", diz Elena Venediktova, diretora da Academia de Donzelas Nobres que funciona sob os cuidados do Corpo de Cadetes de Novosibirsk.

А bolamoderna Foto: Vladímir Viatkin/RIA Nóvosti

Essas disciplinas diferenciadas são: Lides Caseiras, Práticas Sociais e Coreografia, já que nos bailes as meninas dançam a valsa com os jovens do corpo de cadetes.

Ao contrário das donzelas nobres antes da revolução, as dos dias de hoje preferem continuar os seus estudos, principalmente na área de ciências humanas ou no campo militar. Esta é a principal diferença: elas não saem do instituto apenas prontas para serem excelentes esposas e donas de casa, mas podem fazer concorrência com os graduados das escolas secundárias comuns nos exames de admissão às universidades.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.