Museu dedicado à Primeira Guerra Mundial abre nos arredores de São Petersburgo

As cores preta, amarela e branco de um antigo Brasão de Armas do Império também faz parte da mostra Foto: ITAR-TASS

As cores preta, amarela e branco de um antigo Brasão de Armas do Império também faz parte da mostra Foto: ITAR-TASS

Primeiro museu da Rússia dedicado inteiramente à sua participação na Primeira Guerra Mundial abriu este verão na cidade de Púchkin, próximo a São Petersburgo.

O novo espaço, que possui uma exposição permanente chamada “Rússia na Grande Guerra”, foi inaugurado em agosto passado na cidade de Púchkin,  também conhecida como Tsarskoie Selo.

O museu está instalado em um impressionante edifício histórico chamado Câmara Marcial – um complexo construído no estilo do renascimento russo para abrigar o museu da história militar, durante os últimos anos do reinado do tsar Nikolai II.

Elena Tretiakova, viúva do irmão do fundador da Galeria de Arte Tretiakov, em Moscou, foi a fundadora, curadora e uma das principais patrocinadoras do museu.

O Museu da Grande Guerra na Câmara Marcial foi inaugurado no início de 1917. Porém, em 1919, foi fechado, e suas mostras foram realocadas ou destruídas nos primeiros anos de regime comunista.

Em 2008, o prédio foi transferido para o domínio do museu estatal “Tsarskoie Selo”, um complexo tombado como Patrimônio Mundial que inclui os palácios de Catherine e de Aleksandr, bem como os parques em torno deles, em uma área com mais de 100 monumentos históricos.

Nos preparativos para a abertura do museu neste ano, a Câmara Marcial passou por obras de restauro que levaram três anos e custaram US$ 8 milhões.
A coleção do museu inclui roupas, uniformes militares, armas, fotografias, retratos e documentos, além de correspondências da época.

Foto: ITAR-TASS

Provavelmente, o item mais impressionante em exposição é o modelo de um caça biplano francês Nieuport-17 – um avião de combate comum na Primeira Guerra Mundial – que está pendurado no teto de uma das salas do museu.

As cores preta, amarela e branco de um antigo Brasão de Armas do Império também faz parte da mostra. Aliás, bandeiras como esta, que simbolizam a Rússia Imperial, são uma raridade nos dias de hoje. Poucas sobreviveram ao período soviético, porque, até a Segunda Guerra Mundial, estar em posse delas era uma ofensa punível com execução.

Um item muito pessoal da mostra é um telegrama enviado pelo tsar Nikolai II ao Kaiser Wilhelm II (que era seu primo), pouco antes do início das hostilidades. Na mensagem, Nikolai fala a Wilhelm sobre sua amizade e carinhosamente assina o telegrama como “Nicky”.

Fotografias sinistras de cães e cavalos em máscaras de gás são outro destaque das galerias de fotos do museu. E as próprias máscaras de gás, que foram desenvolvidas na Rússia pelo cientista Nikolai Zelinski, também estão em exposição.

Para mais detalhes sobre o museu e outras atrações em Púchkin, visite tzar.ru.

A cidade de Púchkin, a apenas 24 quilômetros do centro de São Petersburgo, é de fácil acesso por trem local ou miniônibus. 

 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.