Festival de Cinema Muçulmano de Kazan apresenta 50 filmes em competição

O Festival Internacional de Cinema de Kazan é realizado desde 2005 Foto: Lori / Legion Media

O Festival Internacional de Cinema de Kazan é realizado desde 2005 Foto: Lori / Legion Media

O programa seleciona filmes que reflitam valores espirituais e morais universais, além de tradições culturais que tragam mensagens de paz, tolerância e humanismo, independentemente da religião do autor.

Começou na última sexta-feira (5) a décima edição do Festival Internacional de Cinema Muçulmano de Kazan, capital do Tartaristão.

O lema do festival se mantém o mesmo: "Através do diálogo de culturas para a cultura do diálogo".

O programa seleciona filmes que reflitam valores espirituais e morais universais, além de tradições culturais que tragam mensagens de paz, tolerância e  humanismo, independentemente da religião do autor.

Em 2014, o festival recebeu um número recorde de inscrições: mais de 500 filmes de 56 países.

Pela primeira vez, o evento recebeu inscrições de países da América Latina: do Brasil e da Argentina. Tal como em edições anteriores, muitos filmes são produto de parcerias entre diretores de diferentes países e culturas: as dobradinhas incluem Espanha-Qatar, Itália-Afeganistão, Brasil-Líbano, Armênia-Irã, Rússia-Palestina, França-Argélia, entre outros.

Na seleção oficial concorrem 50 filmes em várias categorias. A principal, a de Longa de Ficção, tem nove filmes de nove países diferentes, entre os quais de Croácia ("O Caminho de Halima"), Azerbaijão ("Cartas do Passado"), Turquia ("Encruzilhada"), Itália ("O Corpo dos Outros"), Irã ("No Inverno Passado") e Bielorrússia ("Babu").

O Festival Internacional de Cinema de Kazan é realizado desde 2005; até 2010, era conhecido como Mimbar de Ouro.

O evento tem o apoio do presidente do Tartaristão e foi criado em uma parceria do Ministério da Cultura local, da prefeitura e do Conselho de Muftis da Rússia.

 

Publicado originalmente pela RIA Nóvosti

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.