Os perfis psicológicos das mulheres do cinema soviético

A indústria cinematográfica soviética se formou em grande parte à imagem e semelhança de Hollywood. A URSS tinha a sua própria fábrica de estrelas e um conjunto de personagens-tipo. A Gazeta Russa chamou uma psicóloga para analisar essas personagens.

Destacamos as estrelas do cinema da URSS de maior sucesso e junto com a psicóloga da Gestalt Natália Kedrova partimos à descoberta de diferentes tipo e demandas das mulheres modernas à imagem dos filmes mais antigos.

A loira e a ‘selfie’


Foto: kinopoisk.ru

"Ivan Vasilievitch Muda de Profissão" é uma das comédias mais populares soviéticas: conta a história de como o czar russo Ivan, o Terrível, vem parar na Moscou dos nossos dias com a ajuda de uma máquina do tempo. A heroína é a namorada loura de um dos personagens –o diretor de cinema Iakin. Apesar de a personagem interpretada por Natália Kustínskaia ser secundária, ela ficou bem marcada na memória do público. Assim que consegue caçar um diretor de cinema, ela corre para telefonar para todas as amigas: "Oh, Gália, nem imagina o que tenho para lhe contar. O Iákin finalmente deixou aquela bruxa."

“Ela tem necessidade de ser vista e entra em pânico se não é o centro das atenções. Atualmente, seria uma daquelas garotas que passa o tempo fazendo ‘selfies’ com as pessoas certas. O seu lema é: estar sempre na onda das últimas tendências. Para ela, é importante seguir a moda em tudo e mostrar que sabe fazer isso muito bem.”

A síndica  


Foto: RIA Nóvosti

"O Braço de Diamante" é outra comédia soviética também bastante popular, que conta as aventuras de um turista soviético que tem o gesso do braço cheio de uma grande quantidade de pedras preciosas enquanto está inconsciente. A atriz Nonna Mordiukova interpreta a rigorosa síndica do prédio. Quando o protagonista é acidentalmente apanhado com uma mulher (e no filme tudo acontece acidentalmente), ela tenta fazer com que ele abra o jogo e diga a verdade.

“Este é o estilo da durona com um elevado nível de agressividade interna, intolerante e fanática. A sua esfera emocional é reprimida. Regra geral, esse tipo de mulher não se encontra na hierarquia mais alta. Ela é uma executante. Não tem pretensões a tomar decisões importantes e a sua necessidade básica é controlar os outros. Há sempre demanda por esse tipo de personalidade –são as mulheres militantes que defendem friamente as ideias de alguém que elas adotam como suas.”

A mulher nota 20


Foto: ITAR-TASS

"Prisioneira do Cáucaso" é outra comédia popular sobre como um noivo sem sorte decide raptar a noiva de acordo com um antigo costume das montanhas do Cáucaso. A protagonista, Nina, interpretada por Natália Varlei, veio da cidade visitar a família em uma povoação da montanha e se vê refém dos selvagens costumes locais.

“Ela é uma garota de uma família normal, instruída. Uma moça moderna, equilibrada em tudo. Pratica ioga, estuda línguas, viaja, tira ‘selfies’, mas tudo com moderação, sem excessos emocionais. Moças assim costumam ser boas freelancers, escolhem profissões que as fazem viajar pelo mundo. Fazem aquilo que lhes interessa, mas não são fanáticas pelo trabalho a ponto de isso se tornar a principal e única coisa na vida.”

A avó mundial


Foto: kinopoisk.ru

"Sherlock Holmes" foi uma adaptação soviética para série televisiva dos livros de Arthur Conan Doyle. Rina Zeliónaia faz o papel da senhora Hudson. O seu lema é: "Em geral, doutor, eu tento não reparar em quem entra e em quem sai. E  o aconselho a fazer o mesmo."

“Ela é de outra época, de uma época diferente da desta, representada por Holmes e Watson. É a mulher tolerante, aberta e amiga. Se sente confortável com os novos tempos e a cultura moderna, mas não abandona os seus próprios valores. Pode compartilhar experiências e aceita curiosa a experiência dos filhos e netos. Ela é o elo de ligação entre gerações.”

Aversão ao amor


Foto: kinopoisk.ru

"Romance de Escritório" é uma comédia romântica sobre a diretora de um instituto de Moscou e seu subordinado, que, inicialmente, começa a paquerar a chefe por ambições de carreira, mas que depois se apaixona de verdade. Alissa Freindlikh interpreta uma mulher tímida, cujo lema no início do filme é: "Imagine. Vida pessoal! Tem muitas outras coisas interessantes."

“Esse é o tipo da mulher ansiosa e insegura, que tem dificuldade em estabelecer relacionamentos íntimos e em assumir a sua feminilidade. Devido à sua grande inteligência e excecionais capacidades para o negócio, ela irá compensar a falta de comunicabilidade com a autorrealização profissional.”

Mãe-mulher


Foto: kinopoisk.ru

"Amor e Pombas" é uma comédia sobre um homem do campo que tem um romance de férias e acaba abandonando a família. Mas depois decide voltar para a esposa (Nina Doróchina), uma mulher trabalhadora, o tempo todo ocupada, sempre cansada e sem particular fé no marido –tem a certeza de que se não for na base do empurrão, ele não faz nada.

“Ela raramente faz carreira, a sua vocação é ser mãe de família, de uma família com muitos filhos. Se couber a ela a tarefa de alimentar os filhos, então arranjará dois ou três empregos de baixa remuneração e tocará a vida da família para a frente. Ao mesmo tempo, ela é completamente insensível às suas próprias necessidades.”

“Self-made” woman


Foto: ITAR-TASS

"Moscou não Acredita em Lágrimas" conta a história de uma mulher de negócios (Vera Aléntova) que teve que trabalhar duro do zero para obter tudo o que tem na vida e se tornar diretora de uma fábrica. Recebeu o Oscar de melhor filme estrangeiro. A protagonista se queixa de sua vida pessoal que não deu certo: "Só não conte a eles que quando você finalmente consegue tudo o que quer na vida, é quando mais tem vontade de uivar que nem um lobo."

“Esse é o tipo de pessoa que se faz a si mesma. Tem uma elevada capacidade para a autoanálise, disciplina e autoestima no ponto certo. Sabe aguentar e esperar, não  poupa a si mesma, avança passo a passo em direção ao objetivo traçado. Essas pessoas fazem carreira rapidamente, compram um apartamento na hipoteca, criam um filho. Elas não devem nada a ninguém, o seu bem-estar profissional não se assenta nas ligações nem nas simpatias dos chefes, mas no conhecimento, na experiência e no potencial pessoal e, por isso, elas são determinadas e intransigentes nos negócios.”

 

Publicado originalmente pelo Rússki Reportior

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.