Conheça os melhores sorvetes da União Soviética

O sorvete Lakomka chegou às sorveterias soviéticas em meados da década de 1970 e logo virou uma das sobremesas preferidas pelas crianças Foto: RIA Nóvosti

O sorvete Lakomka chegou às sorveterias soviéticas em meados da década de 1970 e logo virou uma das sobremesas preferidas pelas crianças Foto: RIA Nóvosti

A Gazeta Russa listou os tipos da sobremesa mais consumidos durante o período soviético .

Apesar de sua pequena variedade, o sorvete produzido no período da União Soviética marca a memória dos russos que viveram naquela época e ainda se lembram de seus sabores preferidos.  

Sorvete de creme de 48 copeques


Foto: RIA Nóvosti

O sabor lendário do sorvete soviético deve-se ao padrão nacional, batizado de Gost, que entrou em vigor em março de 1941 e, na época, era considerado o mais rígido do mundo, pois previa apenas o uso de ingredientes naturais sem nenhum componente artificial. O sorvete de creme era o sabor mais caro desta sobremesa, cuja porção de 250 gramas era vendida por 48 copeques (R$ 0,3) e consumida com xarope e chocolate ralado.

Esquimó


Foto: ITAR-TASS

Amado por toda a população soviética, o Esquimó era um sorvete coberto por glacê de chocolate ou de creme e tinha um pinguim estampado em sua embalagem. Entre as variedades do Esquimó estava o Kachtan (castanha, em russo), que era vendido em pacotes enfeitados com o desenho de folhas parecidas com as do bordo canadense e dispensava a imagem do pinguim, pois, segundo analistas de marketing soviéticos, os castanheiros cresciam apenas nas regiões mais quentes do sul do país, fora do habitat natural do animal. O sorvete Kachtan coberto por glacê de chocolate era a variedade mais popular da marca, porém, devido à escassez total de alimentos no país, entrou na lista dos produtos muito difíceis de encontrar e sempre atraía multidões.

Lakomka


Foto: RIA Nóvosti

O sorvete Lakomka chegou às sorveterias soviéticas em meados da década de 1970 e logo virou uma das sobremesas preferidas pelas crianças. O sorvete de creme era fabricado em uma linha industrial importada do Ocidente, única em todo o país. Além disso, o grande interesse da população pela nova opção de sobremesa foi despertado pelo modo de aplicação da sua cobertura de chocolate, que era colocada no sorvete através da imersão do produto semipronto no glacê líquido, dispensando os protocolos comuns da linha de produção contínua. A base do Lakomka poderia ser feita com sorvete de creme ou de chocolate, enquanto na preparação da sua cobertura usava-se apenas o chocolate ao leite. Com o tempo, os fãs do Lakomka ganharam mais uma opção chamada de Quebra-nozes, que se destacava pela cobertura de chocolate contendo nozes trituradas.

Sorvete de frutas

Ao longo da sua existência na época soviética, o sorvete de frutas não conseguiu conquistar o amor da população. Mas, em compensação, era a opção mais barata, custando apenas sete copeques (menos de um centavo de real). Em parte, a falta de procura devia-se ao baixo valor calórico, uma verdadeira vantagem para os consumidores atuais, mas que não atraía a população soviética. Mais tarde, a família dos sorvetes de frutas ganhou um novo membro, o gelado de abacaxi, que apesar de não ter o mesmo sabor maravilhoso do sorvete de creme, tinha uma exótica cor amarela.

Dois pelo preço de um


Foto: ITAR-TASS

O sorvete enfeitado com chantilly era considerado a opção mais exótica no mercado soviético de gelados. Pelo preço de 19 copeques (R$ 0,01), além do famoso sorvete de creme em um copinho de waffel comestível, o consumidor ganhava um enfeite de chantilly por cima. O visual e conteúdo desse tipo de sorvete não sofreram muitas alterações ao longo dos anos, e ele continua sendo vendido nos supermercados russos.

Sabor de Moscou

                                     

Foto: RIA Nóvosti

A GUM, principal loja de departamentos de luxo da capital russa na era soviética, vendia o sorvete mais famoso do país, provado pela maior parte dos moradores e visitantes de Moscou durante várias gerações. As opções de sorvete vendidas no estabelecimento - que até hoje se encontra na praça Vermelha, o principal destino turístico de Moscou -, incluíam os sabores creme, creme de caramelo e chocolate.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.