Filme relembra história do lutador Ivan Poddúbni

Ivan Poddúbni foi chamado de "campeão dos campeões do mundo." Mesmo durante a Segunda Guerra Mundial, ele era famoso dos dois lados da linha de frente. Nesta época de nova onda de patriotismo, a figura de Poddúbni se tornou famosa novamente: acaba de ser lançado um filme biográfico russo sobre ele.

Um dos maiores atletas da história, o lutador Ivan Poddúbni ganhou o título mundial de luta francesa (hoje em dia chamada de greco-romana) pela primeira vez em 1905, com 34 anos, título que manteve por mais de três décadas. Ele deixou o ringue de luta apenas na oitava década de sua vida. Perdeu algumas lutas, mas  nunca um torneio. O lutador disse que conhecia apenas um homem mais forte do que ele: seu pai.

A bengala com que Poddúbni andava era feita de aço e pesava 16 kg. As lutas com sua participação duravam muitas vezes por várias horas. As medalhas ganhas ocupavam várias caixas. No entanto, uma parte significativa foi roubada por sua esposa, que fugiu do atleta com um militar da Guarda Branca durante a guerra civil.

O fortão contra o assassino 

A carreira de Poddubni começou no circo. Nos ombros do artista colocavam um poste telegráfico, em cujas extremidades pessoas se penduravam, uma depois da outro, até o momento em que o poste quebrava-se no meio. O trabalho no circo lhe permitiu sobreviver com sucesso os tempos perturbados da Guerra Civil. Ele lembrava que, às vezes, começava o show na frente de  “vermelhos" e terminava na frente dos “brancos".

No início do século 20, a luta francesa era moda na Europa. As lutas e sorteios davam muito dinheiro. Muitas vezes, o resultado era resolvido com antecedência entre empresários e um atleta subornado. Poddubni, que era um defensor intransigente do "fair play”, teve que lidar com isso já em seu primeiro torneio europeu. Seu adversário, o jovem atleta francês Raul de Boucher, escapava de suas tentativas de imobilização, pois sua pele tinha sido previamente esfregada com óleo, que saía com o suor durante a luta. O oponente desmascarado tentou comprar a vitória do lutador russo, mas a situação foi publicamente  exposta. O adversário até resolveu contratar assassinos, mas Poddubni conseguiu assustá-los com  uma arma. Apesar de não cumprirem  o trabalho, os assassinos começaram a pedir dinheiro do lutador francês, que, por não poder pagar, foi assassinado.

Russo até o final 

Durante a ocupação do território soviético pelas tropas nazistas, Poddubni, que já tinha deixado o esporte, vivia na cidade de Eiske, na beira do Mar de Azov, onde  caminhava com a medalha soviética. Justamente por causa dessa medalha, foi levado à Gestapo, mas logo que descobriram quem ele era, o liberaram. Mais tarde até lhe deram trabalho em um bar de bilhar: conta-se qu bêbados alemães,  tirados do local por Poddubni, mais tarde se vangloriavam pois tinha sido o próprio “Ivan, o Grande” que os tinha jogado porta afora.

Muitos militares, desde a infância, corriam para assistir as lutas do atleta soviético russo e lembraram dele pelo resto da vida. A Poddúbni foi oferecido até treinar atletas alemães na Alemanha, mas ele se recusou, dizendo: "Eu sou um lutador russo –e vou continuar a ser”. Surpreendente que depois da libertação de Ieisk, nem os funcionários do KGB o capturaram, embora a colaboração com os ocupantes na época fosse motivo mais do que suficiente para ser acusado. 

"Ivan invicto” venceu a fome. O corpo do atleta se acostumou durante muitos anos a um metabolismo energético forte. Poddubni precisava de muito mais comida do que um homem comum e até mesmo os alemães lhe davam 5 kg da carne por mês. Mas nas condições duras do pós-guerra na Rússia, isso era impossível. Ao campeão famoso tentavam ajudar, mas mesmo assim ele sentia falta de comida. Ele vendeu todos os seus prêmios, enviou uma carta ao Kremlin com um pedido para aumentar a quantidade de sua alimentação, mas não recebeu nenhuma resposta. Todos enfrentavam a falta de nutrientes, mas Poddubni sofria fisicamente. Aqueles que o viram depois da guerra, não conseguiram reconhecer nele o “Ex-Campeão dos Campeões”, lembraram dele com os ombros caídos, com expressão da tristeza e ressentimento congelados no rosto.

De acordo com informações não confirmadas, nas contas bancárias ocidentais de Poddúbni sobravam grandes somas de dinheiro recebido por torneios europeus e estadunidenses. Mas ele não tinha possibilidade de usá-lo naquela época. 

Ivan Poddúbni morreu em 1949. Em sua lápide está escrito: "Aqui está enterrado um herói russo”. Alguns anos após a morte do famoso lutador, foi feito um filme onde  o personagem de Poddubni representa a ideia-chave da ideologia: o patriota da Rússia Soviética.

Este ano será lançado mais um filme sobre o lutador, onde o papel principal é interpretado pelo ator russo famoso Mikhail Porétchenkov.

 

Fonte: YouTube

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.