Refrigerantes siberianos na contramão da Coca

Produzidas à base de plantas nativas, limonadas gaseificadas garantiram seu espaço entre os russos desde a época soviética Foto: Press Photo

Produzidas à base de plantas nativas, limonadas gaseificadas garantiram seu espaço entre os russos desde a época soviética Foto: Press Photo

A ideia de acrescentar extratos de vegetais tonificantes aos refrigerantes imortalizou o nome do farmacêutico de Atlanta, John Pemberton. Seguindo a mesma tendência, os culinaristas russos desenvolveram várias bebidas tônicas à base de plantas nativas – entre elas, as famosas limonadas soviéticas Baikal e Saian.

Nas áreas a leste dos montes Urais existe uma planta que traz benefícios à saúde e não é encontrada em nenhum outro lugar do mundo. Foi com uma dessas ervas milagrosas, a Leuzea carthamoides, que especialistas do Instituto Soviético da Indústria de Alimentos decidiram incrementar a limonada comum e criar uma bebida gaseificada à base de suco de limão e açúcar.

Assim, em 1960, foi patenteado o refrigerante Saian, cujo nome foi dado em homenagem aos Montes Saian, na Sibéria Oriental, onde a planta é encontrada em sua forma selvagem.

As propriedades benéficas da Leuzea foram descobertas por caçador nativos ao notarem que animais doentes escavavam os rizomas da planta e os comiam para se curar. Não se sabe ao certo se esse relato não passa de lenda, mas fato é que, tempos depois, os farmacologistas descobriram uma grande variedade de alcaloides benéficos.

Entre esses componentes saudáveis, figura a ecdisterona, uma substância que possui efeitos semelhantes aos dos esteroides anabolizantes, porém, não causa os mesmos efeitos colaterais. Entretanto, o Saian pode ser consumido também por crianças, pois contém uma quantidade pequena de Leuzea.

Outro refrigerante nacional famoso também traz influência siberianas em seu nome: Baikal, em referência ao maior lago de água doce do mundo. As ervas, que atribuem a essa bebida um aroma de pinho e agradável sabor levemente amargo, também são encontradas na porção europeia do país e na própria Europa.

O refrigerante Baikal, de coloração marrom escura e, portanto, difícil de distinguir da Coca-Cola pela cor, foi supostamente desenvolvido para eliminar da dieta soviética a limonada ocidental, símbolo do decadente estilo de vida que reinava no outro lado do mundo.

A combinação de ingredientes bem conhecidos, como louro, sementes de coentro e raiz de alcaçuz, com alguns outros ingredientes que dão ao Baikal o seu toque peculiar, foi tão bem sucedida que nenhuma campanha de publicidade de empresas ocidentais, incluindo a Coca-Cola, conseguiu tirar o seu espaço firmemente ocupado no mercado russo. Com o tempo, o refrigerante Baikal se tornou motivo de orgulho nacional tanto quanto a vodca. 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.