Bijuteria artesanal vira febre na Rússia

A história de joias e bijuterias na Rússia começa no século 8 Foto: Valéri Melnikov/RIA Nóvosti

A história de joias e bijuterias na Rússia começa no século 8 Foto: Valéri Melnikov/RIA Nóvosti

A chegada do verão a Moscou aumenta a atividade do comércio de rua e transforma todo e qualquer canto da capital russa em feiras improvisadas de artesanato, oferecendo porta-joias, castiçais, camisetas estampadas, enfeites de casa, assim como o item mais procurado –a bijuteria artesanal.

Hoje, a bijuteria artesanal não é apenas uma maneira barata de atualizar o “look” antigo ou demonstrar a individualidade: além de combinar com qualquer visual, ela o deixa um pouco descontraído. Por exemplo, um colar de cerâmica ou metal transforma o terno de uma executiva num traje menos oficial e agressivo, enquanto um clássico uniforme escolar, se for usado com um longo colar de contas de prata e pedras coloridas, ganha um ar misterioso e romântico. Além disso, os acessórios artesanais são uma alternativa de estilo aos produtos fabricados em massa.

A história de joias e bijuterias na Rússia começa no século 8, marcado pelo crescente interesse das tribos eslavas em enfeites e acessórios. Naquela época, as mulheres davam preferência aos brincos, grandes anéis e colares, que, além de deixar as suas proprietárias mais atraentes, simbolizavam abundância e riqueza, davam sorte e protegiam de maus olhares.

As mulheres eslavas valorizavam brincos longos e delicados, colares de contas e pedras preciosas, semipreciosas, de vidro e de metal feitos de cordas com comprimentos variados, além de grandes arcos metálicos de várias formas e com elementos decorativos diferentes.


Foto: Vladímir Sidorenko/RIA Nóvosti

Vale ressaltar que todos os modelos mencionados que conquistaram as russas dos primeiros séculos após o nascimento do Cristo, além dos usados hoje em dia, como faixas de cabeça e diademas, também fazem sucesso entre as cidadãs contemporâneas. Lubor Niederle, historiador tcheco, explica:

"As mulheres eslavas davam muita importância aos anéis especiais entrançados nos seus penteados, que pendiam até os ombros na frente e atrás das orelhas, cobrindo as têmporas. Estes anéis prendiam-se por meio de uma faixa ou diadema ou apenas se entrançavam nos cabelos."

De volta às origens

Os visitantes dos festivais de artesanato sazonais, que durante os finais de semana transformam os estúdios artísticos em feiras improvisadas e alugam as mesas para os vendedores do ramo, poderão encontrar colares de feltro, brincos com pequenas esculturas em cerâmica, além dos anéis forjados com símbolos tradicionais citicos e eslavos.

A entrada de visitantes é liberada mediante o pagamento de ingresso, cujo valor médio não supera de US$ 7 a US$ 10 e que dá direito à permanência na feira durante um período de tempo indeterminado. Os acessórios artesanais disponíveis nestes espaços são feitos manualmente dos materiais escolhidos pelos seus criadores. As bijuterias de estilo retrô, tal como brincos, pingentes e broches feitos de metal parecido com bronze com componentes de vidro, renda e nácar faz um grande sucesso entre os compradores. Boas vendas também são garantidas para os vendedores dos artigos de madeira compensada, que incluem broches em forma de animais pintadas com tintas acrílicas, brincos e pingentes originais com efeito de renda em madeira.

As feiras artesanais, contatos pessoais e espaços culturais, tais como a Kokhlovka Showroom, conhecidos entre certos grupos sociais, são umas das poucas oportunidades disponíveis para a divulgação e a venda de produtos feitos com as próprias mãos.


Foto: Taras Litvienko/RIA Nóvosti

Muitos artistas consideram o artesanato apenas um tipo de lazer fora do expediente.

"Os meus amigos querem saber não apenas como consigo arrumar tempo para criar acessórios, mas qual é a minha motivação. Eu respondo que sinto enorme prazer em passar uma noite transformando uma linha e um punhado de pedras em algo real e verdadeiro, ao contrário dos arquivos eletrônicos ou uma compilação de notícias", explica Natalia, analista de marketing durante o dia e criadora de colares no período noturno.

O portal eletrônico Lifemaster reúne centenas de artistas de artesanato russos e estrangeiros, assim como atrai verdadeiros apreciadores de bijuteria e outros acessórios feitos manualmente. Além de adquirir os artigos prontos, o portal permite entrar em contato com os seus criadores, assim como fazer uma encomenda de acordo com as preferências individuais.

Para os proprietários de algumas famosas grifes de bijuteria, o passatempo preferido se transformou num negócio lucrativo. Este é o caso da marca Anna Slavutina, que nasceu de um presente de aniversário artesanal feito pela sua fundadora a uma amiga e que logo virou um constante fluxo de encomendas, dando origem a uma empresa que já conta com o próprio estúdio, pontos de venda e clientes fieis.

Apesar de o setor de acessórios estar vivendo um rápido crescimento e atraindo muitos investidores do atual mercado russo, a maioria dos artistas do ramo não considera o artesanato uma profissão, tratando-o como um passatempo prazeroso que permite complementar a sua renda mensal.

A famosa tendência mundial “Mix&Match”, que consiste na combinação de artigos populares e luxuosos num único visual, já chegou até as mulheres russas. Hoje em dia, não é difícil encontrar uma jovem de vestido básico com um colar de Pandora, anel de diamantes no dedo e brincos artesanais. Portanto, a bijuteria artesanal aos poucos está se tornando uma forte concorrente dos produtos de joalherias tradicionais.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.