Exposição relembra “heróis esquecidos” da Primeira Guerra Mundial

A maioria dos artigos expostos – fotografias, cartões postais, cartazes e revistas dos arquivos particulares de colecionadores – representam cidadãos comuns, soldados, oficiais e heróis desconhecidos Foto: Oléssia Kurpiáeva/RG

A maioria dos artigos expostos – fotografias, cartões postais, cartazes e revistas dos arquivos particulares de colecionadores – representam cidadãos comuns, soldados, oficiais e heróis desconhecidos Foto: Oléssia Kurpiáeva/RG

Centenário do início da Primeira Guerra Mundial é celebrado com a exposição "Testemunhas da Primeira Guerra Mundial", no Museu de Arte Decorativa da Rússia, em Moscou. Mostra é composta por objetos de arte de colecionadores particulares.

Ao contrário dos eventos mais recentes que fazem parte da história russa, tais como a Revolução Vermelha, Guerra Civil e Segunda Guerra Mundial, a Primeira Guerra recebeu pouca atenção dos historiadores do país, o que resultou na perda de detalhes importantes e surgimento de vários mitos que não correspondem à realidade histórica. “Consegui identificar apenas 5% das pessoas representadas nas fotos”, lamenta o curador da exposição, Andrêi Stroganov. “Ao menos temos a chance de olhar nos olhos daqueles que deixaram as suas casas para sempre.”


Foto: Oléssia Kurpiáeva/RG

A maioria dos artigos expostos – fotografias, cartões postais, cartazes e revistas dos arquivos particulares de colecionadores – representam cidadãos comuns, soldados, oficiais e heróis desconhecidos, embora alguns deles mostrem figuras conhecidas, como o imperador e grão-príncipe Nikolai Nikolaevitch, entre outros.

Os materiais publicados nas revistas da época, por exemplo, ridicularizavam os funcionários públicos corruptos que tentavam se beneficiar da compra e venda dos produtos enviados às forças armadas. “O início de todas as guerras possui uma ligação direta com os interesses pessoais de certas figuras públicas, porém o heroísmo de pessoas comuns é incontestável”, aponta Stroganov.


Foto: Oléssia Kurpiáeva/RG

O Ministério da Cultura da Rússia prevê a realização de novas exposições históricas dedicadas a momentos marcantes da história do país, como a mostra de objetos da Segunda Guerra Mundial, incluindo equipamentos blindados. A presente exposição será encerrada no dia 25 de maio. 


Foto: Oléssia Kurpiáeva/RG

Guerra nas telonas

Foram finalizadas em São Petersburgo as gravações do filme “O Batalhão de Morte”, do aclamado diretor russo Dmítri Meskhiev. A obra, que conta a história de um grupo de voluntárias que lutaram na Primeira Guerra Mundial, relembra os espectadores sobre os atos heroicos de participantes da guerra.

 

Mais informações:

Museu de Arte Decorativa da Rússia

Endereço: Rua Delegatskaia 3, Moscou 

Site: http://www.vmdpni.ru/?lang=en

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.