Templo da época da União Soviética espera recuperação

Após a queda da União Soviética, a VDNKh caiu em desuso Foto: Alamy / Legion Media

Após a queda da União Soviética, a VDNKh caiu em desuso Foto: Alamy / Legion Media

O complexo da Exposição das Realizações da Economia Nacional (VDNKh, na sigla em russo) foi inaugurado em 1939. Local não era apenas um dos maiores complexos de exposição do mundo, mas uma espécie de templo, reverenciado por toda a União Soviética.

Fontes, esculturas, 136 hectares de parques, 250 pavilhões de exposição, cada um dos quais uma obra-prima da arquitetura ou uma edificação peculiar e original. Atualmente, o complexo da Exposição das Realizações da Economia Nacional (VDNKh, na sigla em russo) fica quase no centro de Moscou, mas no final da década de 1930, essa era uma região de periferia com um acampamento de ciganos.

A preparação do local para a construção durou cinco anos. Os ciganos foram empurrados, metro a metro, para fora do território pelos construtores –a floresta era derrubada, e as áreas do terreno eram cobertas de concreto. Havia até mesmo a lenda de que foi estendida uma ramificação separada do metrô de Moscou até a futura exposição, especificamente para transportar os artigos que seriam expostos.

Foto: Alamy/Legion Media

Ao longo dos dois primeiros meses e meio de funcionamento, a VDHKh foi visitada por 3 milhões de pessoas. No ano seguinte, novamente houve milhões de visitantes. Ali, os destinos das pessoas eram transformados: elas chegavam na qualidade de simples operários, mas deixavam o lugar como vencedores de concursos e detentores de condecorações que rapidamente faziam carreira nas suas regiões. Em 1941, o diretor de cinema Ivan Piriev fez um filme sobre o lugar, com o título de “A Guardiã de Porcos e o Pastor”, uma das mais populares comédias da época, que contava a história de uma camponesa russa e de um pastor do Daguestão. Eles haviam se conhecido na VDNKh e se apaixonaram.

Com a Grande Guerra Patriótica (como os russos costumam chamar a Segunda Guerra Mundial), em 1941, a exposição foi fechada e muitas das peças expostas foram evacuadas de Moscou. Mas ao longo de todo o tempo que duraram os bombardeios alemães, nenhuma bomba caiu no território da exposição e nenhuma das edificações foi afetada.

Campeonato Nacional


Foto: RIA Nóvosti

O Estado não poupava recursos à VDNKh, o que incluía construções em grande escala e investimento em transporte, alojamento e alimentação das delegações de todo o país, bem como medalhas e diplomas. O governo não economizava em recompensas, prêmios e diplomas distribuídos aos milhares. Esse sistema funcionava melhor do que qualquer propaganda. Afinal, quando milhões de pessoas retornam para as suas cidades e aldeias e falam sobre a riqueza e o esplendor de Moscou e da calorosa recepção que tiveram lá, todos entendem que existe algo pelo que se esforçar, é preciso apenas trabalhar bem. O país se transformou em um campeonato em que se buscavam recordes na indústria e na agricultura.

Lendas urbanas


Foto: RIA Nóvosti

Existem muitas lendas sobre a VDNKh. Algumas delas, surpreendentemente, verdadeiras. Durante um tempo, correram persistentes rumores de que na VDNKh havia um bunker com provisões de água e comida, para caso de guerra. Nesse bunker, trezentas pessoas poderiam passar dois dias tranquilamente, o que revelou-se verdade. Uma passagem secreta localizada sob a escultura de Lênin leva ao bunker. Quando, após o colapso da União Soviética, os monumentos a Lênin foram desmontados em todo o país, esse não foi tocado.

Nos anos 1950, junto ao pavilhão Cosmos havia uma gigantesca escultura de Stálin, com 25 metros de altura. Mas poucas pessoas sabiam que dentro do grande monumento a Stálin havia um pequeno monumento ao próprio Stálin, segundo o princípio das “matriochkas” (tradicionais bonecas pintadas, feitas de madeira, que podem ser abertas e que encerram dentro de si uma série de bonecas semelhantes em tamanhos decrescentes).

Inicialmente, foi feita uma maquete da escultura e colocada no local, em seguida veio uma comissão para avaliar e aprovar o trabalho. Mas quando começou a ser construído o grande Stálin, surgiu a questão: o que fazer com o pequeno? Ninguém teve coragem de dar a ordem para eliminar a maquete por causa o "culto à personalidade" (glorificação à figura de Stálin, que, na época, criava em torno dele uma áurea semidivina): podia-se parar na cadeia por causa disso. Então, foi decidido cobrir cuidadosamente a maquete com a escultura grande.

O Renascimento


Foto: ITAR-TASS

Após a queda da União Soviética, a VDNKh caiu em desuso. Esse monumento ao trabalho não era mais necessário no âmbito da nova ideologia. Os pavilhões começaram a ser arrendados para todos os tipos de lojas e mercados. Lá era vendido tudo o que se pode imaginar: mel, peles, microchips, varetas perfumadas indianas, malhas da Bielorrússia. As veredas dos parques foram se cobrindo de ervas daninhas, as edificações caíam em desuso.

Nos últimos anos, os parques de Moscou passaram por uma total reconstrução, mas o VDNKh permanece como antes. Isso se devia ao fato de o complexo de exposições estar sob jurisdição federal, enquanto todos os outros parques de Moscou estão sob jurisdição municipal. Recentemente, no entanto, o complexo de exposições foi transferido às autoridades municipais, o que traz a esperança de que, muito em breve, os pavilhões sejam restaurados, as construções recentes sejam demolidas e cuide-se do espaço.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.