Bolo de especiarias com toque medieval

Bolos de especiarias são feitos com o uso de prensas de madeira Foto: RIA Nóvosti

Bolos de especiarias são feitos com o uso de prensas de madeira Foto: RIA Nóvosti

Os bolos de especiarias ainda são feitos nos dias de hoje, especialmente em Tula e Gorodets. E embora eles sejam diferentes daquelas feitos um século atrás, eles ainda guardam o seu sabor especial, sendo fácil destacá-los entre os outros tipos disponíveis nas confeitarias.

Precursora do bolo de especiarias contemporâneo (prianik vem de “priani”, que significa especiaria em russo), essa iguaria começou a ser produzida no século 9. Na época, não era feita com especiarias, apenas mel, e por isso era conhecida como “bolo de mel”.

Sua forma redonda era baseada no símbolo do deus pagão eslavo Perun, “o Deus do sol”. Os arqueólogos descobriram prensas de madeira talhada, que acreditavam terem sido usadas para pressionar os bolos de mel na Idade Média.

Especiarias como cravo e cardamomo começaram a ser importadas para a Rússia só nos séculos 12 e 13, e foram pouco a pouco adicionadas a esses bolos de mel. As especiarias conferiam um sabor tão especial que, no século 17, os prianiki se tornaram item indispensável de qualquer menu, até mesmo para os tsares.

Até o século 19, os bolos de especiarias eram também obrigatórios em todo tipo de celebrações, desde nascimentos a casamentos. Os recém-casados, por exemplo, tinham obrigação de ​​levar um bolo de especiarias festivo como presente para os pais da noiva alguns dias após o casamento.

 

Ofício sobreviveu à revolução bolchevique e à era da industrialização Foto: RIA Nóvosti

Com o tempo, fazer prianik se tornou um ofício respeitado. Os prianichniki, como eram chamados os fabricantes do bolo de especiarias, destacavam-se entre os outros confeiteiros como um grupo de elite.

O tipo mais conhecido de bolos de especiarias é o petchatnie (pressionado). Esses bolos de especiarias são feitos com o uso de prensas de madeira, resultando em uma superfície decorada com imagens e inscrições.

Cidade dos bolos

A capital russa dos bolos de especiarias é Tula, a 200 km ao sul de Moscou. De acordo com Nadejda Tratchuk, diretora do museu local Tulski Prianik, focado na história dos famosos bolos, há razões específicas para que a indústria de bolo de especiarias tenha se desenvolvido tanto na cidade, também famosa por seus armeiros.

“Tula sempre abrigou as principais fábricas de armas”, disse Tratchuk à Gazeta Russa. “E os armeiros tinham habilidades que lhes permitiram fazer prensas de madeira para esses bolos durante o tempo livre.”

Gradualmente, essas prensas se tornaram mais e mais elaboradas e, como resultado, os bolos de Tula ganharam destaque entre todos os bolos feitos no país. “Assim, o bolo se transformou em símbolo de Tula, ao lado do acordeão russo e do samovar”, acrescentou a diretora do museu.

 

Maioria dos prianik atuais é recheado com geleia ou leite condensado Foto: Kommersant

Segundo uma lenda local, um príncipe russo tentou levar confeiteiros de Tula para fazer os bolos de especiarias do mesmo tipo em outra cidade, mas os resultados foram insatisfatórios. Embora tenha levado consigo água e farinha de Tula, não foi o suficiente, e o confeiteiro mais sábio garantiu que o ingrediente que faltava era o ares de Tula – algo  que o príncipe não seria capaz de transportar.

De eslavos a soviéticos

O ofício sobreviveu à revolução bolchevique e à era da industrialização, durante a qual os bolos, assim como quaisquer outros tipos de produtos de confeitaria, começaram a ser produzidos em massa nas fábricas.

Hoje em dia, a maioria desses bolos vêm com geleia ou leite condensado entre as camadas, em vez de mel, como nas receitas originais. Apesar de as confeitarias de Tula afirmarem usar as receitas originais e a maioria das pessoas que os procuram continuam sendo agradavelmente surpreendidas com o sabor, os bolos contemporâneos nem poderiam manter o mesmo gosto que tinham alguns séculos atrás.

“Hoje em dia, o prianik não tem como ser o que era há um século”, disse Tratchuk, “a água, o mel e a manteiga de hoje são diferentes, e esses ingredientes são muito importantes”.

“Mesmo que a gente use receitas antigas, o resultando é muito diferente da antiga versão. Os bolos originais eram todos feitos com mel, porque o açúcar na forma como consumimos atualmente ainda não tinha sido inventado. Os bolos contemporâneos usam uma mistura de açúcar e mel.”

Embora os desenhos do bolo de especiarias sejam conhecidas pela elaboração, os bolos inteiros têm um uso bastante convencional. Em dezembro de 2011, uma urna feita de bolos de Tula foi produzida durante as eleições para a Duma de Estado. O bolo-urna foi presenteado a Vladímir Tchurov, chefe do Comitê Eleitoral Central, que estava responsável pelo monitoramento das eleições na cidade.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.