Filme sobre russos é finalista no É Tudo Verdade

'Borscht, uma receita russa' é documentário de estreia de Marina Quintanilha, e resgata tabu familiar.

Em seu documentário curta de estreia, Marina Quintanilha, 34, traz às telonas um drama familiar: o relacionamento do próprio avô, um imigrante russo, com a avó e sua irmã gêmea também russas exiladas no Brasil.

O filme está entre os nove selecionados da competição brasileira de curtas metragens do principal festival de cinema documental do país.

O filme é recheado de animações elaboradas, já que a diretora é animadora profissional

"Nasci com essa configuração familiar: meu avô era casado com essa minha tia-avó. Minha avó já tinha morrido e minha tia-avó era gêmea idêntica da minha avó. Eu achava normal, mas aí eu cresci e disse: 'Peraí, tem alguma coisa errada!'", disse Quintanilha à Gazeta Russa.

A trama de "Borscht, uma receita russa" é contada no filme pelas filhas e netas dos protagonistas, que, por meio de dúvidas e incessantes perguntas, revelam o caráter de tabu que a história carrega. Além dessas, Wladimir, o único membro ainda vivo do triângulo amoroso, também participa do curta.

Segundo descrevem as filhas, Mariana, a avó de Marina, tinha um gênio muito forte. Essa teria sido a causa de sua separação de Wladimir, que acabou casando-se com sua irmã, a gêmea idêntica, porém mais dócil, Lisa.

Quintanilha estreia na telona com o curta, que é finalista do principal festival de documentários do país Foto: Julia Bock

Ao som da trilha bufona que empresta um tom de humor ao roteiro, o curta é recheado de animações bem elaboradas , já que a diretora é animadora profissional, principalmente para séries de TV. "Mas o cinema sempre foi um sonho", diz.

A estética do filme foi toda inspirada na cor da beterraba, o principal elemento da clássica sopa russa que dá nome ao título. "Borscht é a comida que mais me aproxima da cozinha russa e me liga a minha família: é uma receita que se passa de geração em geração e, mais que isso, tem seus segredos que também são passados assim", diz Quintanilha.

Segredos familiares

Entrevistar a própria família, segundo Marina, foi uma tarefa complicada. "Ao mesmo tempo em que foi mais simples que entrevistar estranhos, mexeu muito comigo,  principalmente a entrevista com a minha mãe, que foi muito forte para mim."

Segundo ela, o material desse conflito ficou reservado para o longa-metragem que planeja fazer sobre a trama, e para o qual já está captando recursos. No curta, de acordo com Quintanilha, "ficou só a parte leve da história".

A diretora entrevista o avô, Wladimir, protagonista da trama Foto: Julia Bock

"Aquele momento foi uma catarse: minha mãe chorou e falou coisas que ela nunca tinha dito para ninguém. É impressionante o poder de uma câmera", diz.

No começo das gravações, nenhum dos familiares queria falar com a diretora sobre o assunto, que é um verdadeiro tabu na família. O avô, Wladimir, discorreu por cerca de sete horas. "Mas ele só falava sobre questões da guerra, sobre seu trabalho... Só foi falar da minha avó Mariana no último frame!"

"Para ele isso não foi um conflito, foi muito mais natural do que foi para a minha mãe, que veio para cá com dois anos e foi criada no Brasil, com os valores daqui. Por isso foi tão difícil para ela e para a minha tia", diz.

"Borscht, uma receita russa" foi produzido com recursos captados por meio de um edital do MinC (Ministério da Cultura), e foi também finalista no Festival Curta Santos em 2013.

Datas e horários de 'Borscht, uma receita russa'

Duas irmãs e seus maridos fogem da Revolução Russa e da Alemanha nazista para o Brasil. Nos anos 1960, dividem uma casa em São Paulo. Conflitos amorosos, misturados ao pendor russo para a boemia e o descomedimento, criaram uma narrativa típica dos folhetins de Nelson Rodrigues.“Borscht, uma receita russa” conta a história real de duas gêmeas idênticas que se casaram com o mesmo homem, e de uma família fascinante, que até hoje reconta e procura entender as ironias e mistérios que estão em suas origens. Dir.: Marina Quintanilha; Dir. de fotografia: Pepe Mendes; Montagem: Juliana Munhoz; Trilha Sonora: Rossano Snel; Prod.: Andara Filmes

No festival É Tudo Verdade em São Paulo:
05/04, sáb., às 15h, no Cine Livraria Cultura (DCP) 
08/04, ter., às 18h, no Reserva Cultural (DCP)

No festival É Tudo Verdade no Rio de Janeiro:
09/04, qua., às 17h no Espaço Itaú de Cinema Botafogo (DCP) 
10/04, qui., às 14h no Instituto Moreira Salles (DCP) - Sessão apresentada pelo diretor do festival, Amir Labaki

 

Outros filmes russos no É Tudo Verdade

"Eixo Óptico", de Marina Razbezhkina (Rússia, 90 min., 2013)

No  século  20, Maksim  Dmitriev  realizou,  na  cidade  de  Níjni  Novgorod,  retratos  de diversos  personagens. Cópias em tamanho real das fotos são levadas aos locais onde foram tiradas. O filme está na seleção oficial DOK Leipzig 2013 e History Artdocfest, Festival de Cinema Documentário da Rússia (2013).

"Gasoduto, de Vitáli Mânski" (Rússia, Repúplica Tcheca e Alemanha, 121 min., 2013) 

Inaugurado em 1983, o gasoduto Transsiberiano trouxe altos lucros ao governo russo, mas não transformou a vida dos que habitam sua imensa extensão, de Urengoi a Colônia. Seleção  oficial Documentary  Fortnight  MoMA  New  York  2014,  Docpoint  IDF  Helsinki  2014, Göteborg IFF 2014, Alpe Adria Cinema FF Trieste 2014, IDFA 2013, Dok Leipzig 2013, Bergen IFF 2013, London BFI FF 2013, Batumi Art,House FF 2013, Odessa FF 2013, Karlovy Vary IFF 2013 e Open Russian FF Kinotavr Sochi 2013.  

 

BORSCHT - UMA RECEITA RUSSA - TRAILER OFICIAL Fonte: Vimeo

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.