Felicidade e tragédia na breve vida do Mikhail Lérmontov

Ilustração:  Natália Mikhailenko

Ilustração: Natália Mikhailenko

O famoso poeta russo Mikhail Lérmontov, nascido em 1814 e morto em 1841, é uma personalidade cuja fama vai além das suas obras literárias.

Mikhail Lérmontov, poeta e oficial de cavalaria, ficou famoso aos 22 anos de idade após escrever um poema emocional dedicado ao grande poeta russo Aleksandr Púchkin, morto em um duelo. As cópias manuscritas logo se espalharam por São Petersburgo. E a reação das autoridades foi imediata: o jovem foi preso e enviado para a região de Cáucaso, que vivia uma longa guerra.

No entanto, Lérmontov não foi vitima de punição severa. Ele já gostava de Cáucaso e passou a apreciar a beleza e a cultura da Geórgia, assim como conseguiu evitar a participação ativa nas operações das forças armadas. Porém, a experiência adquirida no local contribuiu para o nascimento de múltiplas ideias das suas obras mais famosas, que foram realizadas ao longo dos dois anos seguintes.

Logo após voltar do exílio, o poeta chamou a atenção das autoridades mais uma vez, participando de um duelo, o que na época foi considerado crime. Desta vez, a punição foi mais rígida e, em vez de Geórgia hospitaleira, Lérmontov foi enviado à república de Tchetchênia, onde foi obrigado a lutar em verdadeiras batalhas e se provou um oficial corajoso.

Nos dias de folga, costumava zombar dos seus colegas e vivia uma vida pessoal bastante agitada. Desde a primeira infância, Lermontov não teve sossego, e as repercussões envolvendo o seu nome continuaram ao longo de muitos anos após a sua morte.

Ele perdeu a mãe logo após o seu segundo aniversário. O casamento dela com o pai do poeta era infeliz e, na opinião de muitos, esta foi a possível causa da sua morte precoce. O pai do Mikhail, descendente de uma família escocesa russificada, que, de acordo com a lenda, teve o poeta medieval Thomas Learmonth (conhecido também pelo nome de Thomas the Rhymer) como um dos seus antecedentes, seguia a carreira militar e fazia sucesso no mundo feminino, porém não dispunha de recursos financeiros suficientes para sustentar o filho.

Portanto, após o falecimento da mãe, o menino foi deixado aos cuidados da sua rica avó materna, que, apesar de ter um grande amor pelo seu único neto, não conseguiu fazê-lo esquecer da tragédia familiar ocorrida.

Precoce

Sendo uma pessoa sensível, Lérmontov viveu o seu primeiro amor aos dez anos de idade, enquanto aos 13 já produzia poemas sérios e profundos. Apesar de considerar-se um adulto precoce, o que as suas obras literárias confirmam, ao longo de toda a sua vida curta, o famoso poeta não conseguiu se livrar do comportamento infantil. Durante todos os anos que estudou na escola de cadetes de cavalaria, Lérmontov foi adorado pelos seus colegas e ganhou a fama de brincalhão por causa das suas travessuras criativas mas nem sempre inocentes.

Após a formatura, Lérmontov continuou se divertindo, coletando experiências para as suas futuras obras literárias. Por exemplo, o poeta se vingou de uma garota que havia recusado o seu amor na adolescência se fingindo de apaixonado para conquistá-la apenas para terminar o namoro por meio de uma carta anônima comprometendo a si próprio e enviada aos seus pais, assim que o objetivo fosse atingido. Além disso, Lérmontov compartilhou a "brincandeira" com vários amigos durante a troca de cartas particulares. Mesmo assim, ele não ficou satisfeito e foi ao casamento da garota como padrinho do noivo.

Morte precoce

Apesar do comportamento problemático e dos trotes cruéis, Liérmontov possuía um enorme talento, que ia além do literário e incluía ótimas habilidades musicais e artísticas. No entanto, seguindo as tradições da época em que vivia e tentando melhorar a sua autoconfiança, o poeta escolheu ser hussardo, um membro da classe de cavalaria ligeira atraente para o mundo feminino.

Talvez a baixa autoestima tenha contribuído para o falecimento precoce desse grande autor literário russo: ele morreu em 1841, durante suas férias na cidade de Piatigorsk, em consequência de um duelo injusto com o seu velho colega e oficial Nikolai Martinov.

Até agora não é possível saber ao certo a verdadeira causa deste evento trágico. Segundo a única informação disponível, a briga aconteceu por conta das constantes brincadeiras de mau gosto de Liérmontov em relação ao seu colega, que, apesar de boa aparência física, não foi muito inteligente. De acordo com uma das versões não comprovadas, os trotes foram provocados pela relação amorosa do Nikolai com uma mulher pela qual Liérmontov também era apaixonado, enquanto a sugestão popular na época soviética afirma que o assassinato do poeta foi minuciosamente planejado pelos monarquistas.

Mikhail Lérmontov morreu antes de completar 27anos.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.