Vodca, troica, perestroika... Dez palavras russas que todo o mundo sabe

“Vodca, em doses pequenas, faz bem em qualquer quantidade” Foto: Igor Zarembo/RIA Nóvosti

“Vodca, em doses pequenas, faz bem em qualquer quantidade” Foto: Igor Zarembo/RIA Nóvosti

O vocabulário russo aumenta consideravelmente através da adoção de palavras de outros idiomas, sobretudo do inglês, mas muitas palavras russas acabam incorporadas por outras línguas.

Vodca

Esta bebida alcoólica russa surgiu no século 15, quando os eslavos aprenderam a fazer o chamado “vinho de pão”. A vodca começou sendo produzida em experimentos no final do século 19, quando o químico russo Dmítri Mendeleev encontrou a porcentagem de álcool ideal: 40%. Em 1982, a URSS patenteou a invenção da vodca, bem como o direito exclusivo de comercializá-la no mercado mundial, com o slogan “Só a vodca da Rússia é autêntica vodca russa”. Hoje em dia, os rótulos das garrafas contêm o aviso: “O consumo excessivo de vodca prejudica sua saúde”. Entretanto, a sabedoria popular se inclina para outra sentença: “Vodca, em doses pequenas, faz bem em qualquer quantidade”.

Troica

É uma carruagem puxada por três cavalos, que apareceu na Rússia em meados do século 18, num tempo em que o serviço postal exigia carros leves para cobrir longas distâncias por estradas, em sua maioria, em estado deplorável (há um ditado popular: “Na Rússia, há duas desgraças: parvalhões e estradas”). Até o início do século 20, as troicas eram, além de um meio de transporte, um divertimento apreciado sobretudo na época de neve, com trenó em vez de carruagem. À troica se associa o espírito de liberdade e imensidão, existindo muitos poemas e canções a ela consagrados. Uma das referências mais conhecidas a ela é a criada por Gogol em “Almas Mortas”, obra na qual a Rússia é comparada a uma troica: “Não é assim que você, Rússia, se precipita que nem uma troica, leve e inultrapassável? … Oh Rússia, para onde é que se está precipitando? Ora, responda! Não, não dá reposta alguma…”

Glassnost 

Foi Khruschov quem anuniciou a política de glassnost na URSS

Significando transparência nas entidades públicas e liberdade de informação, a glassnost é um componente essencial da perestroika: conduziu à atenuação da censura e ao levantamento de numerosas barreiras na área de informação existentes na sociedade soviética. Tem origem em “glass”, forma antiga da palavra “goloss” (voz). Em sentido literal, é a possibilidade de falar em voz alta, sem restrições.

Matriochka

A conhecida boneca de madeira, no interior da qual estão várias outras menores, tem o nome aldeão de Matriona, ou Matriochka, seu diminutivo. É curioso que seu protótipo foi um brinquedo desmontável japonês, que chegou à Rússia no finail do século 19. Uma matriochka pode conter de três a 24 bonecas. Ultimamente, ganharam popularidade como lembranças da Rússia bonecos representando os políticos. Por exemplo, dentro de Pútin está Iéltsin, e dentro deste, Gorbatchov, seguido por Brejnev, Khruschov, Stálin e Lénin em miniatura.

Datcha

É uma casa de campo para moradores da cidade. O nome provém do verbo “dar”: datcha é algo que foi dado, pois houve um tempo em que as autoridades russas, e depois soviéticas, ofereciam casas de campo aos representantes das camadas sociais privilegiadas, funcionários públicos ou personalidades da cultura e ciência. Desde a década de 1950, o cidadão comum também começou a ter casas de campo, se organizando em  cooperativas. Atualmente ninguém dá datchas. Quem as quer, ou as compra ou constrói, mas a palavra ficou no vocabulário.

Pogróm 

A palavra provém do verbo “gromít” (destruir, liquidar), significando ações destrutivas maciças contra um grupo populacional: assaltos, destruição de casas, empresas, edifícios de culto religioso. Os mais conhecidos pogróms são os do final do século 19 e início do século 20, na Rússia, contra os judeus. A palavra, de má fama,  enriqueceu as línguas europeias.

Kolkhóz  

É um acrônimo de “kollektívnoe khoziáistvo” (economia coletiva), que significa cooperativa camponesa baseada no trabalho e meios de produção comunitários. Os primeiros kolkhozes apareceram em 1918, enquanto a coletivização total e forçada se deu na URSS entre 1929 e1932. Para a maioria dos agricultores, teve consequências extremamente negativas, já que o kolkhóz como forma de economia coletiva se mostrou pouco eficaz. Hoje em dia, chama-se kolkhóz qualquer organização mal gerida, apesar de encabeçada por grande número de administradores.

Kalachnikov

Arma automática ligeira, considerada a melhor do mundo. Sua designação oficial é AK-47, tendo sido idealizada por Mikhail Kaláchnikov, então com 20 anos, no início da Segunda Guerra Mundial. Em 1947 surgiu a primeira versão da arma, que passou a fazer parte do arsenal do Exército Soviético em 1949 e, pouco a pouco, foi adotada por exércitos de todo o planeta. Mikhail Kaláchnikov morreu em dezembro passado, aos 94 anos.

Sputnik

Até meados do século 20, a palavra era amplamente usada na Rússia, querendo dizer “companheiro de viagem”. Depois de 4 de outubro de 1957, data em que na URSS foi lançado o primeiro satélite artificial da Terra, o termo adquiriu outro significado: “corpo celeste em volta do planeta”, sendo assim entendido em muitos idiomas do mundo. O lançamento do Sputnik inaugurou a época cósmica, obrigando a comunidade mundial a encarar a União Soviética de modo diferente, deixando de considerá-la um país tecnicamente atrasado.

Perestroika

A palavra perestroika indica o período de reformas e mudanças sociais na URSS iniciado em 1985, quando Mikhail Gorbatchov chegou ao poder. Seu fim ocorreu em 1991, com a desintegração do país. Até 1985, a palavra não tinha qualquer conotação política, significando apenas modificação ou reconstrução de algo. Ganhando significado político, a Perestroika trouxe ao país o aumento de liberdades, a ativação da consciência social e a introdução de elementos de mercado na economia. Na política externa, acabou com a confrontação com o Ocidente, iniciando a cooperação. A Perestroika pôs termo à Guerra Fria, que durou cerca de meio século, e por isso entroupara o vocabulário de várias línguas com significado positivo.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.