Música com oficiais russos vira febre na internet

Formada por funcionários do Ministério do Interior, banda ficou famosa após lançar vídeo com um cover para a música Get Lucky, do duo francês Daft Punk. Apresentação teve mais três milhões visualizações no YouTube.

Fonte: youtube.com

"Estamos felizes por a Daft Punk ter gostado do nosso cover. Ao contrário da versão original, em vez do som eletrônico, usamos a voz humana grave", diz Viktor Eliseev, major-general e líder da banda, comentando a grande quantidade de visualizações no YouTube. "Conseguiremos atraí-los aos nossos shows para apresentar as músicas clássicas do passado, apenas oferecendo algo que eles já conhecem."

A banda dos oficiais foi formada em 1973 por membros das iniciativas culturais das forças internas e de uma divisão das tropas motorizadas da Rússia. Eliseev participou pessoalmente do processo de criação do grupo à frente do coro.

A partir de então, a banda foi crescendo e se desenvolvendo, graças à assistência de Ivan Iákovlev, natural cossaco e comandante das forças armadas, além de apreciador de música. "De vez em quando ele até chorava ou ria, assistindo as nossas apresentações", conta Eliseev.

Em 1979, ao se apresentar no território da antiga Tchecoslováquia, o grupo foi recebido por Nikolai Schelokov, chefe do Ministério dos Negócios Internos e o próprio Iúri Tchurbanov, o seu vice na época.

"Durante a reunião, conversamos sobre a banda, seus desafios atuais e mencionamos a falta do equipamento de som", diz Eliseev. Apesar do preço pouco acessível na URSS (quase 750 dólares), Tchurbanov presenteou a banda com aparelhos de som Dynacord. "Foi uma grande alegria para todos os membros da banda que nos permitiu aprimorar as nossas criações musicais."

Hoje em dia, o grupo é composto por 240, entre homens e mulheres, que fazem parte das equipes do coral, orquestra e grupo de dança.

Fãs internacionais

Nos últimos três anos, a banda fez mais de 250 apresentações na França, 10 na Coreia do Norte e outras 10 na China, entre outros países. "O líder norte-coreano Kim Jong-il era o nosso grande fã, e não deixava passar nenhum ano sem nos convidar para fazer as apresentações no seu país", relata Eliseev.

O último encontro com Kim Jong-il aconteceu na cidade russa de Ulan-Ude, onde o chefe do Estado norte-coreano participou de uma reunião com o então presidente russo Dmítri Medvedev. "Em abril do ano que vem, já temos uma viagem marcada para a Coreia do Norte, onde faremos uma apresentação a convite do seu sucessor Kim Jong-un", acrescenta. O repertório da banda inclui cerca de 16 músicas em chinês,  incluindo "Sem partido comunista a China não existisse".

Outro destino popular da banda é a Austrália, onde já foi realizada uma turnê com 73 apresentações que incluía um cover de "Sex Bomb", de Tom Jones. "Por causa dessa música, milhares de fãs australianas viajavam pelo país para estar presente nos shows", lembra o major-chefe.

Show em guerras

A banda do Ministério do Interior está inserida na estrutura do órgão público, e todos os seus membros recebem um salário fixo e bolsas especiais. Por isso, a qualquer momento podem ser chamados para fazer apresentações em regiões em guerra. "Estivemos em muitos lugares perigosos, inclusive na Tchetchênia, onde fizemos cerca de 20 shows", conta o líder do grupo.

A boa notícia é que, segundo as estatísticas, o lançamento do vídeo aumentou a confiança da população nas forças policiais do país. "Queremos que os nossos cidadãos aceitem e respeitem a polícia e não tenham medo de usar os nossos serviços", conclui Eliseev.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.