Culto ao pepino

Monumento ao pepino em Lukhovitsi homenageia produto tradicional da região Foto: ITAR-TASS

Monumento ao pepino em Lukhovitsi homenageia produto tradicional da região Foto: ITAR-TASS

Cidade nos arredores de Moscou ganhou fama na Rússia pela qualidade das conservas à base do legume.

Originário da Índia, o pepino chegou à Europa na Idade Média e se tornou um produto habitual na maior parte das cozinhas do continente.Com o passar do tempo, as cidades produtoras do legume passaram a disputar entre si o título de capital do pepino. O vilarejo russo de Lukhovitsi, a 135 quilômetros de Moscou, é um desses lugares.

A cidade, que até ao século 19 se chamava Glukhov, foi transformada com a construção da ferrovia entre Moscou e a velha Riazan e, mais tarde, com a estrada para Tcheliábinsk. Foi então que Lukhovitsi começou a crescer impetuosamente.

Os operários dos aviões mundialmente conhecidos MiG-29 cultivam pepino em suas hortas pepinos há muito tempo, já que o legume se dá com o clima favorável da região – muitos dias de sol e água abundante. Lukhovitsi seria conhecida apenas como cidade industrial, por abrigar uma usina secreta, se não fosse a crise que afetou a produção local nos anos 1990, obrigando os operários a se voltarem a suas hortas.

Os engenheiros aeronáuticos passaram a encarar seus terrenos de cultivo com a seriedade com que antes encaravam a montagem de caças. Em 10 anos, os pepinos de Lukhovitsi impuseram sua fama em toda a Rússia.

Para os russos, que se entregam a suas conservas caseiras com a mesma paixão com que os italianos se deliciam com as massas, o produto se tornou uma tradição. A popularidade de Lukhovitsi chegou a tal ponto que as autoridades locais ergueram um monumento ao legume.

“Ao pepino, amparo das famílias, dos lukhovitsenses que lhe são gratos”, diz a inscrição na escultura. Além disso, a cidade possui um museu sobre o legume e sedia anualmente um festival típico.

Rei do pepino

A capital internacional do pepino é Nejin, no norte da Ucrânia. A imperatriz Catarina, a Grande, passou certo dia por aquela cidade e ficou tão impressionada com os legumes em conserva que ordenou que a corte de São Petersburgo se abastecesse apenas ali.

Os habitantes de Tahkuranna, pequena cidade da Estônia, bem como da cidade bielorrussa de Chklov, também disputam o título de “reino do pepino”. Até mesmo Nos EUA, há uma cidadezinha de Berrien Springs, no Estado de Michigan, que se autoproclamou, nem mais nem menos do que Capital Mundial dos Pickles de Natal, pepinos adocicados em conserva.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.