Dinastia Romanov ganha exposição interativa em Moscou

Instalações tridimensionais, animações e conteúdo interativo celebram o 400º aniversário da última dinastia imperial. Inauguração da mostra “Rússia Ortodoxa. Dinastia Romanov" no Manej, museu no centro da capital, coincidiu com o feriado da Unidade Nacional, na segunda-feira passada (4).

Fotos: Serguêi Kúksin/RG

No dia da abertura, mais de 15 mil visitantes fizeram fila pela Praça Manej para conferir a história da chamada “Era de ouro da cultura russa”. Os membros dos Romanov e os anos que sucederam desde seu primeiro reinado, em 1613, são retratados em instalações tridimensionais, animações, “lightboxes” e 21 salas com telões divididos por período.  

Na principal sala da exposição foi instalada uma tela enorme com um retrato de todos os representantes da família Romanov vivificados pela tecnologia moderna: eles balançam as cabeças, suspiram e olham para os visitantes com o semblante triste e severo.

As mesas com telas táteis integradas permitem visualizar as imagens e conhecer os principais eventos históricos. Por exemplo, o Kremlin em chamas representa a época de interregno, a instalação com luz de fundo cria a sensação de presença nos aposentos reais do século 16, assim como as telas interativas permitem observar o resultado da reconstrução das batalhas históricas.

Escola em peso

A exposição será visitada por 35 excursões estudantis diariamente até 12 de novembro, quando a exposição será encerrada. Os visitantes podem testar o seu nível de conhecimento recém-adquirido no próprio local da exposição por meio dos divertidos aplicativos instalados nos iPads integrados nos estandes do evento.

“A população não conhece a origem de muitos costumes e aspectos de vida que hoje fazem parte da nossa cultura”, aponta Aleksandr Miasnikov, consultor histórico da mostra. “O objetivo da é exatamente este, contar a história do surgimento desses elementos. Por exemplo, as rosas foram trazidas pelo primeiro Romanov, o tsar Mikhail, durante uma de suas viagens para o exterior”, conta o especialista.

Outro fato curioso é que a primeira gota de óleo de girassol na história mundial foi produzida na Rússia durante o reinado do tsar Nikolai I, entre 1825 e 1855. Por isso, o girassol é considerado uma planta de origem russa, apesar de ser importada dos Estados Unidos. “A história da Rússia possui muitos mistérios, portanto, um dos objetivos da exposição é desvendá-los, assim como despertar o interesse da população em seus aspectos mais importantes”, acrescenta o consultor.

Artigos pessoais do primeiro e último representantes da dinastia Romanov, tais como a vara do tsar Mikhail Fiodorovitch e o diário do Nikolai II, são raridades da exposição. O convento Ipatiev, em Kostroma, emprestou à exposição a ícone da Mãe de Deus Fiodorovskaia, usada pela mãe do primeiro tsar Romanov para abençoá-lo diante do futuro reinado.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.