Os dez melhores pratos para provar em Sôtchi durante as Olimpíadas

Foto: Lori / Legion Media

Foto: Lori / Legion Media

A hospitaleira Kuban e o acolhedor Cáucaso se combinam em uma palavra: Sôtchi. Talvez esta seja uma das poucas cidades na Rússia que possui a sua própria cozinha multicultural. Aproveite esta oportunidade única para organizar uma festa para o seu estômago, tendo como pano de fundo a grande festa esportiva, as Olimpíadas de Inverno. Seguramente, a frase "festim para a barriga" entrará no seu dicionário de frases idiomáticas russas.

Churrasco (Chachlik)

Naturalmente, o prato número um é o churrasco. Nenhuma refeição ao ar livre na Rússia passa sem o churrasco: seja num passeio à casa de campo ou num final de semana com a família.

O churrasco pode, com toda a justiça, ser chamado de rei da cozinha de Sôtchi. Estes cubinhos de carne marinada de um modo especial, alinhados em espetos e assados diretamente sobre o fogo são o prato favorito dos residentes e hóspedes dos resorts. Até mesmo no verão, quando os termômetros atingem os 35ºC, o shachlik é servido em cada café, restaurante ou refeitório, sem nunca se repetir no sabor. Afinal, cada cozinheiro tem seu próprio segredo. A variante clássica é servir com cebola, ervas e legumes frescos, pão pita e molho vermelho.

Onde comer: Cafés Romashka, Sochi e Na beregú, na avenida marginal do rio Sôtchi, pereugol Riversky 6/4  [travessa Riversky]

Sopa Solyanka


Foto: Lori/Legion Media

A solyanka à moda georgiana é para aqueles que gostam de comida mais quente e até mais picante. Depois do chachlik, esta sopa rica, espessa, aromática e nutritiva é líder da cozinha de qualquer restaurante de Sôtchi. É preparada com carnes escolhidas e preparada por várias horas, quando se acrescenta cebola, cenoura, alho e tomate. Para os amantes da comida picante ela traz adjika (molho picante) à parte para acrescentar ao prato final. A melhor maneira de comer esta sopa é acompanhada com bastante lavash (tipo de pão tradicional) georgiano e fresco.

Onde comer: Restaurante Amshenskiy dvor (site em russo); Adler, c. Kazachiy Brod, ul. Krasnoflotskaya, 15a  [rua Krasnoflótskaia]

Khinkáli 


Foto: Lori/Legion Media

Na Rússia, são conhecidos por pelmeni. Na Itália, por ravioli. No Japão, por gyoza. O princípio é sempre o mesmo: um fino pedaço de massa envolve um recheio e é cozido em um caldo salgado. O recheio do khinkali leva carne picada temperada com pimenta, sal e coentro verde bem picadinho. Dos pelmeni russos eles distinguem-se não apenas por seu tamanho maior, mas também por quase a metade do recheio ser formado por um caldo denso e forte. É servido com molho vermelho (de tomate) e branco (tsahton).

Onde comer: Café Belye notchi, per. Morskoi, 7   [travessa Morskói]

Khatchapúri


Foto: Lori/Legion Media

Outra obra-prima da culinária georgiana, que, apesar de tudo, ainda prevalece em Sôtchi. O khachapuri pode ser de vários tipos. Os principais ingredientes são o queijo e a massa (de pão). Se tentarmos encontrar um análogo da cozinha mundial, talvez o prato mais próximo seja provavelmente a pizza, mas com o seu próprio colorido e sabor diferentes.

Quem visita Sôtchi precisa provar khachapúri "lodotcha" (barquinho). A tortilha de massa é moldada em forma de uma pequena gôndola e no seu interior se coloca o recheio: manteiga, ovo e queijo. A mestria do cozinheiro está na capacidade de cozinhar tudo do forno de modo a deixar a gema mole. A "lodotchka" deve ser comida com a mão, tirando pão dos cantinhos do barco e mergulhando-o no recheio de queijo, gema e manteiga.

Onde comer: Café Staryi Bazar (site em russo), ul. Nesebraskaya, 4 [rua Nessebráskaia, nº 4]

Bolinhas de queijo Magnôlia

Em praticamente todas as lanchonetes e restaurantes de Sôtchi é possível encontrar um prato chamado Magnôlia, embora este nome oficial já comece a cair em desuso. As pessoas já se acostumaram a chamar este prato simplesmente de “bolinhas de queijo”. A primeira Magnôlia apareceu no menu do restaurante local Intourist pelas mãos do então chef do estabelecimento. Até hoje elas continuam sendo o aperitivo preferido dos habitantes locais para acompanhar a cerveja ou o vinho.

Onde comer: Café Del Mar, (site em russo), cid. Sôtchi, rua Navaginskaya, 14, assim como no Primorskaya Naberejnaya, na região do Marins Park Hotel

Peixes e frutos do mar

Se você não come carne vermelha, se não gosta de comida picante e geralmente prefere uma refeição mais leve, seguramente não sairá de Sôtchi com fome. É claro que no inverno a variedade de produtos do mar não é tão grande, mas é possível ter sorte de provar a famosa solha do Mar Negro, o salmonete, o mexilhão e a rapana locais. Pode-se comer peixe imperial o ano todo –nome pelo qual é conhecida a truta âmbar ou arco-íris –assim como o esturjão. Em Sôtchi, o caviar, vermelho ou negro, é do mais puro, pois tudo é produzido aqui mesmo, no distrito de Adler, município de Sôtchi, numa fazenda especial de criação de trutas.

Onde comer: Fazenda de trutas (site em russo), cid. Sôtchi, distrito Adlerskiy, s. Kazatchiy Brod, ul. Forelevaya, 45-a  [rua Forelhévaia]

Vinho

O vinho da Abecásia é o cartão de visita da ensolarada república vizinha. Vinhos doces, secos e semi-secos, tintos, rosés e brancos –todos eles podem ser comprados em Sôtchi. Além dos vinhos da Abecásia, em Sôtchi existe ampla representação da produção vinícola de Kuban. A esta safra se acrescenta ainda o vinho espumante.

Queijo 


Foto: Lori/Legion Media

A variedade de queijos em Sôtchi também é tão grande quanto a do chaclik ou do vinho. Os queijos mais comuns são dois: o Suluguni e o Adygea. E, novamente, o gosto deles também pode variar muito de peça para peça. Uma vem com mais sal, outra com menos, uma terceira pode vir ligeiramente fumada. Todos muito saborosos.

Onde comprar: Mercado Adlerskiy: ul.Demokraticheskaya, 38-a, [rua Demokratítcheskaia], Mercado Central: ul. Moscovskaya, 22   [rua Moskóvskaia]

Sopa borsch


Foto: Lori/Legion Media

Se falamos de cozinha tradicional russa, em Sôtchi torna-se certamente necessário provar o borsch de Kuban. Não se assuste se escutar dizer que "o borsch é de ontem", pois é assim mesmo que ele deve ser, pois só depois de apurar um ou dois dias é que ele fica verdadeiramente apetitoso. Coma o borsch obrigatoriamente com smetana (nata azeda). E ainda toucinho salgado, cebolinha-francesa picada, pão preto aromático e, claro, 150 ml de vodka –assim manda a tradição. Como aperitivo frio, a geleia (kholodets) com mostarda e rabanete é excelente.

Onde comer: Café Puzataya khata (site em russo), ul. Navaginskaya 9/1 [rua Navaguínskaia],  ul. Donskaya, 9-a. [rua Donskáia]

Blíni (panqueca)

Outro prato nativo da Rússia é o blíni (tipo de crepe ou panqueca russa). É tradição preparar grandes quantidades de blíni para a Maslenitsa –o feriado nacional favorito, depois do Ano Novo. Os blíni na Rússia acompanham normalmente o inverno e dão as boas-vindas à primavera. Neste ano, a Maslenitsa começa no dia 24 de fevereiro, logo depois dos Jogos Olímpicos. Mas o mais provável é que lhe ofereçam blíni para comer muito antes disso. Estas panquecas russas vêm geralmente recheadas. O recheio favorito é o caviar, vermelho ou preto,  salmão levemente curado, carne, requeijão, mel, compota e nata azeda. É possível  experimentar todo o dia um recheio diferente. 

Onde comer: Bistrô BlinYuga, ul. Konstitutsiy SSSR, 4  [rua Konstitutsíi Essésséssér]

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.