Moscou recebe Festival de Cinema Brasileiro

O embaixador brasileiro na Rússia, Fernando Barreto (dir.), fez um discurso na abertura do festival de cinema brasileiro em Moscou Foto: Anton Gontcharenko / Geometria.ru

O embaixador brasileiro na Rússia, Fernando Barreto (dir.), fez um discurso na abertura do festival de cinema brasileiro em Moscou Foto: Anton Gontcharenko / Geometria.ru

Além de apresentar últimos lançamentos nacionais, evento oferece mais informações sobre a cultura do país.

No último dia 9 de outubro, o filme “Gonzaga, De Pai Para O Filho”, de Bruno Silveira, abriu o 6o Festival de Cinema Brasileiro no teatro cinematográfico “35 mm”, em Moscou. Para diferenciar o evento deste ano das edições anteriores, os organizadores da atual programação selecionaram filmes que exploram os temas música e paixão.

Além da história do lendário Luiz Gonzaga, o programa desse ano inclui nove filmes lançados entre 2012 e 2013, como “Rio 2096: Uma História de Amor e Fúria”, de Luiz Bolognesi, “Era uma vez eu, Verônica”, de Marcelo Gomes, e a comédia “De Pernas Pro Ar”. O concorrente ao Oscar na categoria de melhor filme estrangeiro, “O Som ao Redor”, de Kleber Mendonça Filho, fechará a programação do evento em Moscou no dia 15 de outubro.

De acordo com o embaixador brasileiro na Rússia, Fernando Barreto, o principal objetivo do festival é divulgar as informações culturais sobre o país. “Queríamos ampliar o conhecimento dos espectadores russos sobre a geografia e a cultura brasileiras”, ressaltou Barreto durante discurso na abertura do evento.

Ígor Germano, responsável pela área cultural da Embaixada do Brasil na Rússia, concorda que o cinema é uma das melhores formas de conhecer o Brasil, seu povo e sua cultura. “Os filmes brasileiros combinam imagens de natureza, características e costumes diferentes das pessoas e da música tradicional brasileira, o que proporciona uma imagem completa do país”, afirmou Germano.

O festival é um dos principais meios de interação cultural entre os dois países na atualidade.

“Os moradores da capital russa já conhecem a tradição de realizar esse evento no segundo semestre de ano, e muitos aproveitam esta oportunidade para mergulhar na cultura brasileira quase inexistente na vida da cidade”, conta Serguêi Kukhtin, diretor da escola moscovita de português “Escola Brasil”.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.