Panificadora “halal” conquista apreciadores em Moscou

Tcheburek, prato típico tártaro, é muito popular na Rússia Foto: Lori/Legion Media

Tcheburek, prato típico tártaro, é muito popular na Rússia Foto: Lori/Legion Media

Panificadora “halal” criada por jovem de origem tártara extrapola mercado da comunidade muçulmana em Moscou e atrai diversos públicos.

Na Rússia, a indústria “halal” está ganhando popularidade rapidamente. Cada vez mais empresas expõem, orgulhosamente, a inscrição "halal” em seus cartazes de propaganda.  Diliara Fatkhulina, uma moscovita de 24 anos, foi uma das que conseguiu encontrar o seu espaço nesse mercado. Sua empresa, a Kunak (nome de origem tártara), é a primeira panificadora “halal” na capital que faz entregas gratuitas de seus produtos em Moscou e nos arredores da capital.

A ideia de abrir o próprio negócio surgiu na mente da jovem por acaso, após uma festa de família.

"Para ser honesta, eu não gostava de cozinhar. Mas em um dia do feriado de Eid al-Fitr (que marca o fim do jejum do Ramadã), tive de preparar um prato feito a base de farinha pois todos estava viajando. Não tive escolha. Fiquei tão empolgada que não parei nunca mais. Depois, os meus amigos ficaram sabendo que havia pegado o jeito e começaram a pedir para que eu preparasse algo para eles nos feriados”,  relembra Diliara.

Mas abrir o próprio negócio em Moscou é algo arriscado. Por isso, Diliara queria obter uma franquia de alguma das famosas empresas tártaras especializadas no preparo de massas assadas, mas experimentou os seus produtos e mudou de ideia.

"Eu queria levar até as pessoas o verdadeiro sabor dos pasteis, ao invés do gosto industrializado. Eu quero que ao experimentar as nossas tortas, em meio à família e aos amigos, as pessoas não se esqueçam do sabor das tortas de suas avós", conta Diliara.

A principal peculiaridade da empresa Kunak é o trabalho artesanal: todos os produtos são feitos à mão. No início, a jovem empresária preparava pessoalmente todas as encomendas, época em que teve que trabalhar até durante a noite, interrompendo a amamentação do filho de quatro meses de idade. Agora, quatro jovens se dividem em turnos na panificadora. Elas assam diferentes guloseimas tradicionais da culinária tártara: “tchak- tchak”, gubad (torta doce), beliachi (lembra uma esfiha aberta), etchpotchmak (pasteis triangulares recheados) e muito mais. A quantidade de opções no cardápio da Kunak cresce assim como o número de clientes regulares.

"Estamos com muitos pedidos. Quando comecei a organizar tudo, estava focada em um público limitado, os tártaros de Moscou. Fazia propaganda em sites tártaros. Mas, para a nossa surpresa, depois que fizemos algumas ações promocionais em centros comerciais de Moscou, outras pessoas, além dos representantes da comunidade muçulmana, passaram a nos procurar”, comenta a jovem.

Em um dos principais feriados tártaros, o "Sabantui" (festa da primavera), realizado anualmente no parque Kolómenskoie, os produtos da Kunak obtiveram grande popularidade. Os pasteis foram vendidos bem antes do fim da festa. Depois veio o efeito da propaganda boca a boca: surgiram convites para as reuniões com os administradores de restaurantes, propostas de parcerias etc.

"O gastos com o projeto foram compensados rapidamente. Atualmente, temos planos de abrir um café, onde, em um ambiente familiar, será possível tomar um chá acompanhado de uma torta ", diz Diliara.

Na página da panificadora em uma rede social a quantidade de amigos da empresa Kunak cresce rapidamente. Atualmente, não só os tártaros e os muçulmanos estão entre os clientes da panificadora, mas também muitos russos. Afinal, o sabor dos "pasteis da vovó" agrada a todos da mesma forma, independentemente da religião e da nacionalidade.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.