Grande e pequena vanguarda

The big and small monuments. Foto: Tatiana Kravtchenko/RG

The big and small monuments. Foto: Tatiana Kravtchenko/RG

Surge na Rússia um monumento de apenas alguns centímetros de comprimento e outro com 83 metros.

Este pequeno pedaço de metal que o homem tem na mão é um monumento portátil à vanguarda russa feito em Novosibirsk. Seu criador foi o arquiteto inglês Gabor Stark, professor da Universidade de Kent. Ele venceu o concurso internacional “MUNDOS DE EL Lissitzky” / WORLDS OF EL LISSITZKY.

O monumento em questão cabe facilmente na palma da mão, foi batizado de ‘Divisa Negra’ e tem a forma de um pequeno polígono preto com quatro milímetros de espessura e um furo no meio. Ao longo de toda a sua borda estão gravados os nomes das cidades onde viveu Lissitzky, uma proeminente figura da Vanguarda russa, companheiro de armas do supremacista Kasimir Malevich.

A ‘Divisa Negra’ é um monumento móvel. No total serão produzidos 10.000 "monumentos" destes que se planeja enviar a arquitetos de vanguarda de todo o mundo.

E ali perto, um pouco mais atrás, podemos ver uma estátua gigante. O seu autor foi o famoso escultor monumentalista russo Zurab Tsereteli. Esculturas dele podem ser encontradas em várias cidades do mundo: em Moscou se ergue imponente, nos seus 98 metros de altura, a imensa estátua dedicada a Pedro, o Grande. Em Nova York está o monumento "O Bem Derrota o Mal". Em Paris, a escultura "O Nascimento do Novo Homem".

Desta vez Tsereteli esculpiu uma estátua de bronze de Jesus Cristo com 33 metros de altura (o número de anos que Cristo viveu) no cimo de um pedestal de 50 metros. Juntos, o pedestal e a estátua, perfazem um total de 83 metros. No entanto, o artista ainda não conseguiu se decidir onde colocá-la. Já lhe propuseram espaço para o novo trabalho nas montanhas da Geórgia, mas Tsereteli prefere vê-lo na Rússia.

Quando o monumento de Tsereteli for montado numa única peça, ele se tornará a maior estátua de Cristo na Europa (se contarmos com o pedestal). A figura, propriamente dita, do maior Cristo é a do Rio de Janeiro. No Rio de Janeiro, o Cristo Redentor, com seus braços abertos, abençoa o povo brasileiro, já “os braços do meu Cristo estão posicionados de modo diferente, eles como que estão se dirigindo ao povo, e por isso este é o Cristo Pregador", explicou o escultor.

O Cristo de Tsereteli ficou grande, mas continua sendo menor do que Pedro I.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.