A digitalização da “Melódia”

Dos vinis para arquivos em wav, Melódia disponibiliza uma grande coleção de música soviética restaurada Foto: beatles.ru

Dos vinis para arquivos em wav, Melódia disponibiliza uma grande coleção de música soviética restaurada Foto: beatles.ru

Mais antiga gravadora monopolista soviética disponibiliza seu arquivo na internet.

Fundada em 1964, a gravadora “Melódia”, que marcou presença em toda a União Soviética ao longo de 25 anos, foi a única produtora e distribuidora em massa de fonogramas no país. Seu arquivo é enorme e único. Centenas de milhares de gravações, entre música clássica, jazz, música popular, conjuntos folclóricos e transmissões de rádio. No final da perestroika, surgiram também as gravações de rock soviético.

O produto básico da “Melódia” sempre foi o vinil. Ao liberar o arquivo digitalizado para download em sua loja on-line, a primeira reação de usuários foi: “Acordaram tarde demais”. Realmente, grande parte das gravações já haviam sido disponibilizadas na internet para o uso não-comercial em blogs e redes sociais. Mas não se pode tirar o mérito da iniciativa.

Pela primeira vez na história, uma grande coleção de música soviética restaurada está à disposição em um único servidor e de forma segmentada. A “Melódia” oferece a possibilidade de ouvir e comprar faixas individuais – US$ 4 por faixa, e de 20 a 40 dólares, por álbum.

Por enquanto, só é possível comprar no território da Rússia mas, em um futuro próximo, há promessa de estender o serviço para o mundo inteiro. Outra contratempo é o fato de as gravações estarem disponíveis apenas no formato wav atualmente.

“Vendemos as faixas sobre as quais a Melódia tem direitos exclusivos”, diz o diretor da gravadora, Andrei Kritchévski. “Agora lançamos a loja e estamos testando o seu êxito. Se tudo correr bem, vamos começar a assinar acordos com os outros detentores de direitos, quando as faixas que não são totalmente nossas”, acrescentou Kritchévski.

Nos arquivos há muita música clássica. A “Melódia” gravava shows de Herbert von Karajan, Yehudi Menuhin, Glenn Gould e muitas outras celebridades que faziam turnês pela URSS. Na “Antologia da música para piano de compositores russos e soviéticos”, há uma série “Russos tocam clássicos russos” (com o maestro Kirill Kondrashin) e séries dedicadas a Dmítri Shostakovitch e Emil Gilels. Além disso, estão disponíveis gravações exclusivas das estrelas da música popular soviética, como Claudia Shulzhenko, Anna German, Leonid Utesov e Edita Piekha.

A gravadora, contudo, só tinha artistas reconhecidos oficialmente e que eram leais às autoridades. Rostropovitch e Vichnevskaia foram dois que perderam a oportunidade de gravar pela “Melódia” depois de escreverem uma carta aberta defendendo Soljenítsin. O Conselho Artístico vigiava atentamente os gostos estéticos dos cidadãos soviéticos. Não era permitido rock underground nem canções que trouxessem referências ao mundo do crime ou músicos que tivessem uma relação difícil com o poder soviético.  

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.