Púchkin além das fronteiras russas

Poeta russo Aleksandr Púchkin, nascido há exatos 214 anos, também é muito conhecido no velho continente Foto: Press Photo

Poeta russo Aleksandr Púchkin, nascido há exatos 214 anos, também é muito conhecido no velho continente Foto: Press Photo

Cinco fatos que comprovam que o poeta russo Aleksandr Púchkin, nascido há exatos 214 anos, também é muito conhecido no velho continente.

1. A revista francesa “Revue Encyclopédique” foi dos primeiros  veículos europeus a falar sobre Aleksandr Púchkin. Uma nota datada de 1821 foi encontrada entre os papéis guardados pelo poeta com muito cuidado. “Recentemente publicada em nossa cidade, essa obra atraiu a atenção de todos os amigos da literatura”, diz a nota. “Trata-se de um poema romântico em dez cantos intitulado ‘Ruslan e Liudmila’. Seu autor, Púchkin, ex-aluno do Liceu de Tsarskoie Selo e atual assessor do governador-geral da Bessarábia [parte da Romênia incorporada antigamente à Rússia] tem apenas 22 anos de idade. O poema é composto de contos populares da época do Grão Duque Vladímir.” Púchkin havia sublinhado uma imprecisão na nota: o poema é composto de seis contos, e não de dez.

2. As obras de Aleksandr Púchkin começaram a ser traduzidas para línguas estrangeiras, como alemão e francês, a partir da década de 1820. Publicadas inicialmente em Moscou e São Petersburgo, as traduções se infiltraram rapidamente no Ocidente e se tornaram objetos de discussões nos círculos literários da Europa Ocidental. Uma dessas traduções, porém, gerou um grande problema financeiro para o poeta. O editor do “St.-Petersburgische Zeitschrift Efstafi Oldekop” aplicou à tradução para o alemão do “Prisioneiro do Cáucaso” o texto original em russo, impedindo assim Púchkin de fazer um contrato com uma outra editora para a publicação da obra em russo.

3. Muitos escritores renomados da Europa desejavam conhecer Aleksandr Púchkin e sua obra ainda em vida. Alguns deles enviavam presentes ao poeta. Em 1827, o poeta recebeu uma pena de ganso do clássico da literatura alemã Goethe. Púchkin valorizava muito esse presente e mandou fazer para ele um estojo de marroquim. Os amigos de Púchkin que visitavam frequentemente as capitais europeias contaram sobre ele ao escritor italiano Alessandro Manzoni e ao escritor francês Alphonse de Lamartine.

4.A ópera “Dama de Espadas”, de Tchaikovsky, foi baseada no romance homônimo de Aleksandr Púchkin. Embora seja internacionalmente conhecida, poucos sabem que o primeiro a compor uma ópera com base nesse romance de Púchkin traduzido foi o compositor francês Jacques Fromental Halévy. Isso aconteceu em 1850, isto é, 40 anos antes de Tchaikovsky lançar sua versão.

5. O poema “Evguêni Oneguin” foi adaptado para o cinema pela primeira vez em 1911. O responsável foi o diretor de cinema mudo Vassíli Gontcharov. Oito anos depois, foi lançada uma versão cinematográfica alemã produzida pelo diretor e roteirista Alfred Hulme. Em 1972, a rede de televisão alemã Zweites Deutsches Fernsehen (ZDF) produziu uma versão musical do filme. Em 1994, no Reino Unido, o diretor Humphrey Burton lançou o filme para televisão “Oneguin”. A adaptação cinematográfica mais famosa é da também britânica Martha Fiennes. Lançada em 1999, a obra é estrelada por Ralph Fiennes e Liv Tyler.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.