Ballet Nacional da Rússia viaja de norte a sul do Brasil

“O Lago dos Cisnes”, um dos mais famosos e tocantes ballets do mundo, é o espetáculo que tem sido apresentado na maior parte das cidades brasileiras Foto: M.Logvinov

“O Lago dos Cisnes”, um dos mais famosos e tocantes ballets do mundo, é o espetáculo que tem sido apresentado na maior parte das cidades brasileiras Foto: M.Logvinov

Companhia apresenta clássicos do ballet ocidental na maior turnê já realizada.

Com cenário mais leve sem perder o rigor coreográfico, o Balé Nacional da Rússia apresentou “O Lago dos Cisnes” e “Giselle”, dois dos mais românticos espetáculos da dança ocidental, em dois dias de apresentação em São Paulo, na terça e na quarta, 28 e 29 de maio. Uma das mais prestigiadas companhias de dança do mundo, realiza até meados de junho essa que é a maior turnê em território brasileiro, com 25 exibições que incluem cidades de norte a sul, de São Luís a Blumenau ----veja as próximas datas abaixo--, como parte de uma campanha para popularizar o balé russo no Brasil. A programação não se restringe às capitais, também haverá espetáculos em cidades de grande e pequeno porte.

A leveza no cenário se deve à opção de substituir antigas estruturas pesadas por cortinas e vestimentas que são transportadas pela própria equipe, entre 40 bailarinos, solistas e técnicos. Com esse tipo de mudança, adaptando-se a formatos alternativos, se torna menos caro e dispendioso excursionar para longas temporadas, a turnê viaja para distâncias maiores sem que os ingressos deixem de ser acessíveis. No espetáculo, que se intitula “Joias do Ballet Russo”, reúnem-se peças consagradas do ballet europeu, executados conforme a tradição, com nuances de expressão contemporânea que lhe garantem a atualidade.

“O Lago dos Cisnes”, um dos mais famosos e tocantes ballets do mundo, é o espetáculo que tem sido apresentado na maior parte das cidades brasileiras. De fins do século 19, tem música de Tchaikóvski, compositor russo de outros ballets que arrebantam o público como “A Bela Adormecida” e “O Quebra-Nozes”. O libreto original é de Vladimir Petrovic Begicek, a primeira coreografia de Julius Reisinger Wenzel, reformulada pela dupla Marius Petipa e Lev Ivanov. Baseia-se num antigo conto de fadas alemão: num lago encantado, uma moça fora transformada em cisne e um príncipe apaixonado tenta quebrar o feitiço.

Leia mais sobre ballet russo

Da mesma época, “Giselle”, segundo espetáculo da turnê brasileira, nasce da lenda eslava das Willis, donzelas apaixonadas que morrem antes de se casar e se transformam em seres que aparecem à noite na floresta. O enredo é do romancista francês Théophille Gautier, com música de Adolphe-Charles Adam e primeira coreografia de Jean Coralli e Jules Perrot.

Com vocação para popularizar a dança clássica, o Balé Nacional da Rússia já completou três décadas. Em fins dos anos 1970, com esse propósito, fora idealizado por Irina Tichomirova, primeira bailarina do Bolshoi --esta a mais famosa companhia russa de dança--, à época diretora da Sociedade Filarmônica de Moscou. Desde então, recebeu bailarinos de grupos grandes, além do próprio Bolshoi, do Kirov e do Stanislavski.

À sua frente desde a criação, encontra-se Viatcheslav Gordeev, bailarino e coreógrafo que responde pela direção artística e geral. Atuou por duas décadas no Ballet Bolshoi no papel principal de grandes coreografias, com premiação internacional. Gordeev explica que o desafio permanente é adicionar modernidade ao clássico sem que a essência se perca. Nesse processo complexo, é preciso pensar em etapas que envolvem desde a seleção dos bailarinos, a preparação de figurino e recursos técnicos, financiamento e ritmo de ensaios.

A originalidade de suas criações costuma ser notada: sua remontagem de “A Bela Adormecida”, de fins da década de 1990, e a recente remontagem de “Cinderela” receberam prêmios internacionais. Em meio a tantas excursões mundiais, o Balé Nacional da Rússia já recebeu homenagens nos EUA, França e México Em Nova Orleans, por exemplo, há um feriado sua honra, o "Dia do Russian State Ballet".  Antes de chegar ao Brasil, a companhia russa viajara para apresentações em toda a Europa.

Na América Latina, a direção do evento é de Augusto Stevanovich. A tour brasileira tem patrocínio dos empresários Olacyr de Moraes, do Brasil, e Serguéi Chak, da Rússia. No Brasil, tem o respaldo do embaixador e cônsul geral da Rússia, Mikhail Troianky.

A tour brasileira já Passou por Brasilia (11/5), São Luís (13 e 14/5), Ribeirão Preto (19/5), Maceió (21/5) Belo Horizonte (24/5), Salvador (25 e 26).

Estas são as próximas apresentações: Fortaleza 30/5, Recife 31/5 e 1/6, João Pessoa 2/6, Natal 5/6, Porto Alegre 7/6, Novo Hamburgo 8/6, Campinas 11/6, Goiânia 13/6, Florianópolis 15 e 16/6, Blumenau 17/6, Jaraguá do Sul 18/6, - Joinville 19/6.

Em cada cidade, as datas ainda estão sujeitas a alterações.

 

Para ver vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=oMlzu8ge_eQ

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.