Artista de rua P183 morre aos 29 anos

P183 produzia sua arte como uma forma de esclarecer os cidadãos sobre a realidade Foto: P183/Rex Features Fotodom

P183 produzia sua arte como uma forma de esclarecer os cidadãos sobre a realidade Foto: P183/Rex Features Fotodom

Apelidado de “Banksy russo”, artista registrou sua marca nas ruas, pontes e túneis de Moscou com uma mistura de protesto e sátira.

P183, cujo primeiro nome era Pacha, morreu no último dia 1º, declarou Regina Vartsan, do Teatralnoie Delo, uma companhia de produção teatral onde ele estava trabalhando no cenário para o musical “Todd”.

Embora a causa do incidente não tenha sido esclarecida, fato é que a morte de P183 privará a Rússia de um artista com enorme potencial.

“Não temos outra figura igual a Pacha”, disse ao “Komsomolets Moskosvki” Kirill Alekseiev, da Galeria Tretiakov. “Ele era um artista de nível europeu, que pressentia intuitivamente as últimas tendências.”

P183 escondia sua verdadeira identidade, muitas vezes usando uma máscara preta. Ao longo de sua carreira, criou uma imensa variedade de obras utilizando os espaços da cidade que conhecia tão bem, seja uma poderosa figura segurando uma chama na obra chamada “Queimando Pontes” ou um submarino nas águas do rio Iauza.

Muitos de seus trabalhos eram protestos contra uma cultura massificada, que, segundo ele, estava deteriorada pela ampla comercialização, falta de liberdade e cinismo.

“Gostaria que as pessoas aprendessem a diferenciar entre todas as coisas falsas que são apresentadas a elas e a realidade”, disse P183. “Trabalho para que as pessoas se transformem e não passem batido pelos pobres, para que ajudem uns aos outros, enxerguem algum tipo de alternativa em suas vidas, tenham outra mentalidade, percebam o mundo ao seu redor.”

Pouco mais de um ano atrás, P183 deixou de ser um artista de rua conhecido apenas por aqueles que seguiam a cena local para se transformar em um fenômeno mundial, depois que o jornal britânico “The Guardian” o apelidou de “Banksy russo” e apresentou uma enorme galeria de fotos com seus trabalhos.

Foi somente neste sábado (6), um dia após seu funeral, que os amigos e colegas grafiteiros falaram sobre P183 em uma longa mensagem publicada no site sobre grafite codered.ru. Seus pais haviam pedido para que até então os conhecidos permanecessem em silêncio sobre a morte do jovem artista.

“Ele vivia como sentia as coisas e de uma maneira bem intensa”, escreveu uma conhecida. “Sua arte vinha do coração, motivo pelo qual era tão original. Ele era um idealista.”

Pouco antes de morrer, P183 terminou o cenário para o musical “Todd” e escreveu em sua página no Facebook: “Se eu morrer amanhã, posso, pelo menos, sentir que deixei algo real para trás.”

Confira abaixo cinco vídeos apresentando alguns trabalhos de P183:

1. Van é pintada para se parecer um veículo de polícia e depois cortada em fatias que são colocadas em uma torradeira. Questionado por um repórter por que um carro de polícia, e não uma ambulância, P183 diz que sentiria pena da ambulância.
https://www.youtube.com/watch?v=4DVS3KsxaR0 

2. Polícia de choque nas portas da estação de metrô Krasnie Vorota
https://www.youtube.com/watch?v=n9-mliVsbwU

3. Armas automáticas são fixadas a uma câmera de circuito-fechado
https://www.youtube.com/watch?v=iy9NGLCegCA

4. Tijolo gigante flutua sobre o rio Moscou
https://www.youtube.com/watch?v=S6tBp4BR7Y4

5. Cabine telefônica na Novy Arbat se transforma em altar de magia
https://www.youtube.com/watch?v=YSAfR6QbkH8

 

Publicado originalmente pelo The Moscow News

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.