Pútin apoia iniciativas para construir ‘memória nacional’

Membros da SHMR se reuniram com Vladímir Pútin e autoridades na residência presidencial em Novo-Ogarevo. Foto: RIA Nóvosti

Membros da SHMR se reuniram com Vladímir Pútin e autoridades na residência presidencial em Novo-Ogarevo. Foto: RIA Nóvosti

Em reunião com os membros da Sociedade de História Militar da Rússia (SHMR), presidente russo Vladímir Pútin declarou total apoio às atividades da entidade e prometeu assistir à cerimônia de inauguração de um monumento aos heróis da Primeira Guerra Mundial nos arredores de São Petersburgo. Foi discutida ainda a elaboração de um novo livro didático sobre a história do país.

O Estado vai prestar apoio aos clubes de história militar e às associações patrióticas que buscam recuperar a memória dos soldados tombados na Segunda Guerra Mundial, informou o presidente russo Vladímir Pútin durante a reunião com membros da SHMR.

Pútin também prometeu assistir à cerimônia de inauguração do museu da Primeira Guerra Mundial em Tsarskoie Selo, nos arredores de São Petersburgo, que acontecerá em 1º de agosto de 2014. A abertura do museu faz parte de uma série de iniciativas para celebrar os 100 anos do início deste conflito. 

Na reunião, foi discutida também a ideia de construir um monumento aos heróis da Primeira Guerra Mundial em Moscou. “Já começamos esse trabalho e encontramos um bom lugar no Monte Poklonnaia. O concurso de projetos de monumento terminará no dia 1º de agosto deste ano e, na sequência, vamos apresentar os melhores trabalhos à consulta pública”, disse o ministro da Cultura, Vladímir Medinski, eleito presidente da Sociedade de História Militar da Rússia.

Além disso, o ministro divulgou que o Congresso havia decidido “criar um canal de TV dedicado à história chamado ‘Historiador Russo’”.

A SHMR conta com o apoio de historiadores, militares e representantes de organizações sociais, juvenis, clubes de história militar e ativistas de associações patrióticas empenhados em recuperar a memória dos soldados tombados. Entre suas funções, está a educação patriótica dos jovens e a criação de um livro didático sobre a história do país. “O livro deve ser redigido em bom russo e desprovido de contradições internas e interpretações ambíguas”, declarou Pútin em fevereiro.

 

Publicado originalmente pelo Vzgliad

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.