As lendas do rock russo

Boris Grebenschikov  líder do grupo Akvarium. Foto: Dmítri Konradt

Boris Grebenschikov líder do grupo Akvarium. Foto: Dmítri Konradt

A Gazeta Russa relembra os roqueiros russos que ultrapassaram a cortina de ferro da URSS e criaram música em tempos conturbados.

Pode-se dizer que na sala da rua Rubinstein, número 13, em Leningrado, nasceu e se desenvolveu o que hoje é chamado de “rock russo”. Apesar da cortina de ferro e outros obstáculos, as gravações dos Beatles e Rolling Stones chegavam às mãos dos amantes soviéticos de música. Sob sua influência, reuniam-se grupos como Machina Vremeni ou Mifi, embora não rolassem grandes festas dedicadas a esse estilo musical na época.



Machina Vremeni 

A situação no Clube do Rock de Leningrado era diferente por diversas razões. Ali conviviam sob o mesmo teto personagens como Konstantin Kintchev (líder do grupo Alisa, de Leningrado), Iúri Chevtchuk (DDT) e Boris Grebenschikov (Akvarium), que começou sua carreira muito antes do clube do rock, entre outros.

Esse grupo de calibre internacional desenvolveu especial companheirismo e um espírito criativo pelo qual tentavam se expressar ao máximo. Para completar a diversidade da associação, o patrono não oficial do Clube do Rock de Leningado era nada menos que o KGB. Mesmo não interferindo nas atividades do grupo, esse fato só veio a público tempos depois, já durante a perestroika, graças à confissão do major-general do KGB, Oleg Kalugin.

Alisa 

Nos anos 1980, o Clube do Rock funcionava como uma comunidade do filme, “Piratas do Rock”, de Richard Curtis: um conglomerado feliz de pessoas sem-terra que, entre bebedeiras e brincadeiras, escreviam a história do rock soviético.

Hoje em dia, o rock russo é um fenômeno mais social do que artístico. Bandas como DDT e Televisor, participantes do Clube do Rock, apresentam-se nas marchas de dissidentes, e a opinião de Grebenschikov e Kintchev é perguntada no contexto dos acontecimentos políticos. A situação é bem diferente daquela época, há trinta anos, quando cada um deles era, sobretudo, uma unidade cultural independente, o fundador de seu próprio estilo. É justamente essas pessoas (e não a sua música) que retrata a exposição.

DDT 

A maioria das fotos expostas na atual mostra “No tempo das campânulas” apresenta o grupo Akvarium, cujo líder, Boris Grebenschikov, foi (e ainda é) o mais influente entre os músicos de Leningrado. Ainda nos anos 1970, Grebenschikov começou a transportar os experimentos acústicos de David Bowie e Bob Dylan para a música nacional e ostentou um corte de cabelo inspirado no de Andy Warhol durante algum período.

Ao lançar os princípios criativos em que se orientavam os colegas menos experientes, o líder do Akvarium tomava como base as produções dos músicos anglo-americanos com o objetivo de inserir letras inspiradas na tradição poética russa

 

Akvarium
 

Na onda do rock semi-acústico, o new wave acabou virando uma referência cultural. Além dos grupos Alisa e Televisor, a banda Kino, do famigerado Víktor Tsoi, também adaptou esse estilo e foi consagrada como uma das melhores bandas de rock russo de todos os tempos.

Kino 

No Clube do Rock, estiveram ainda bandas punk, como Avtomaticheskie Udovleltvoriteli, Narodnoie Opoltchenie e Obiekt Nasmechek, e os representantes da vanguarda Strannie Igri e Avia.



Avtomaticheskie Udovleltvoriteli 

Além desses grupos vistos como imitações de outras bandas, o Clube do Rock gerou vários fenômenos absolutamente independentes. Esse é o caso das bandas Auktsion e Nól. Pioneiros do new wave, rapidamente desenvolveram um estilo próprio, baseado no jazz-rock, jazz norte-americano e experimentos de poetas futuristas do início do século 20, como Aleksandr Vedenski, Daniil Kharms.

Auktsion

O líder do Nól, Fiódor Chistiakov, sendo um fanático do acordeão, apoiava-se em estruturas melódicas puramente russas, bem como no folclore urbano e na natureza caricata da cultura popular.

Nol 

Entretanto, o fim da União Soviética, que garantiria também aos roqueiros mais liberdade de criação, acabou representando o fim da era de ouro do Clube do Rock de Leningrado. Assim, nem todos os artistas concretizaram aquilo que sonhavam.

Tsoi morreu em 1991, e Chistiakov acabou preso no ano seguinte por atacar sua namorada com uma faca.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.