Pútin assina decreto para intensificar sanções contra Turquia

Após embargo contra frutas e verduras, empresários turcos estão na mira do Kremlin

Após embargo contra frutas e verduras, empresários turcos estão na mira do Kremlin

Kremlin
Anunciadas há um mês, medidas agora recaem sobre empresas privadas turcas.

Nesta segunda-feira (28), a assessoria do Kremlin divulgou a assinatura de emendas pelo presidente russo, Vladímir Pútin, em decreto sobre medidas especiais direcionadas à Turquia.

As novas restrições são referentes a organizações controladas por cidadãos turcos, e não apenas a empresas estatais turcas operando na Rússia.

Além disso, o presidente ordenou a elaboração de uma lista de contratos que não serão tangidos pelas novas medidas.

Deterioramento anunciado

Ainda nesta segunda, o vice-premiê Arkádi Dvorkovitch já havia anunciado que as sanções contra a Turquia seriam ampliadas.

Ele afirmou que o governo não colocou para si a a tarefa de "rejeitar toda e qualquer cooperação com a Turquia", mas simplesmente que considera "necessária uma resposta adequada a ações hostis".

As primeiras sanções à Turquia foram assinadas por Pútin exatamente há um mês, em 28 de novembro, após a derrubada de um caça russo na fronteira turca.

O documento restringe a entrada de determinados produtos turcos na Rússia, sobretudo verduras e frutas, os principais itens da balança de exportações da Turquia.

Além disso, o documento restabelece o regime de vistos para turismo, que deve entrar em vigor novamente em 1 de janeiro de 2016. Os operadores de turismo russos também deverão deixar de oferecer destinos russos, de acordo com o documento.

O documento publicado nesta segunda, intitulado "Introdução de mudanças no decreto sobre medidas de provimento de segurança nacional e defesa dos cidadãos da Rússia de ações ilegais e da adoção de medidas econômicas especiais em relação à Turquia", está disponível na página do Kremlin.

Com material do portal Lenta.ru e da rádio Ekho Moskvi.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.