Impossível decifrar dados de caixa-preta, anuncia Defesa

Treze dos 16 microchips foram praticamente destruídos, e os três restantes, danificados

Treze dos 16 microchips foram praticamente destruídos, e os três restantes, danificados

AP
Danos internos impossibilitaram uso de métodos convencionais na leitura de informações. Microchips retirados de caça abatido pela Turquia passarão por novas análises em instituições científicas especializadas.

É impossível decifrar as informações contidas na caixa-preta danificada do bombardeiro russo derrubado pela aviação turca no mês passado, anunciou o Ministério da Defesa russo, citado pela agência de notícias RIA Nôvosti.

“A decodificação dos dados ainda não é possível por causa dos danos internos”, declarou o tenente-general Serguêi Bainetov, vice-diretor do serviço de segurança aérea da pasta da Defesa. “Treze dos 16 microchips estão praticamente destruídos, e os três restantes, danificados.”

Um dos microchips do módulo de memória da caixa-preta do Sukhoi-24 pode, no entanto, “estar em condições suficientemente boas para que se tentar recuperar dados a partir dele”, acrescentou Bainetov.

“O microchip BDD5 pode ainda estar operacional, porque a análise com raio-X não identificou nenhum dano físico em seu interior”, explicou.

O ministério vai recrutar instituições científicas especializadas para realizar as futuras investigações, mas alerta que o processo exigirá tempo, já que os dados da caixa-preta não serão restaurados pelos métodos usuais.

“Os métodos existentes, com uso do equipamento orgânico da fábrica Izmeritel e do Comitê Interestatal de Aviação, não podem ser usados neste momento para restaurar e ler os dados dos microchips devido aos danos internos”, disse Bainetov.

O bombardeiro russo Su-24 foi derrubado na fronteira turco-síria em 24 de novembro por suposta violação de espaço aéreo. O incidente, caracterizado pelo presidente russo Vladímir Pútin como “uma facada nas costas”, foi seguido por um pacote de sanções econômicas impostas contra Turquia.

Transparência

Ainda segundo o Ministério da Defesa russo, os observadores internacionais presentes durante a análise da caixa-preta, entre eles representantes da China, do Reino Unido e dos Estados Unidos, elogiaram a transparência dos esforços.

“Os observadores internacionais não fizeram perguntas durante nosso trabalho. Eles avaliaram positivamente a transparência de nossas ações”, disse Bainetov.

Na sexta-feira (18), o Ministério da Defesa da Rússia realizou uma coletiva de imprensa para anunciar a abertura da caixa-preta do caça Su-24.

Com material da agência Tass e do jornal The Moscow Times

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.