Caixa preta de caça derrubado na fronteira turca é aberta

"O avião russo Su-24 não representou, de maneira nenhuma, ameaça à República da Turquia e seus cidadãos", disse subcomandante russo em coletiva.

"O avião russo Su-24 não representou, de maneira nenhuma, ameaça à República da Turquia e seus cidadãos", disse subcomandante russo em coletiva.

Anton Denisov/RIA Novosti
Porta-vozes do Ministério da Defesa e especialistas abriram caixa preta do Su-24 na presença de jornalistas e observadores internacionais. Primeiros dados serão divulgados na próxima segunda-feira (21).

Nesta sexta-feira (18), o Ministério da Defesa da Rússia realizou uma coletiva de imprensa para anunciar a abertura da caixa preta do caça Su-24 russo abatido na fronteira sírio-turca.

O subcomandante das Forças Aeroespaciais russas, Serguêi Dronov anunciou que a Rússia tem todas as evidências necessárias para provar que a aeronave russa não entrou em espaço aéreo turco.

"O avião russo Su-24 não representou, de maneira nenhuma, ameaça à República da Turquia e seus cidadãos", disse Dronov.

Ele ressaltou que, até o momento, nenhum país, exceto a Turquia, refutou as informações divulgadas pela Rússia sobre as condições na área do ataque.

Apesar disso, os trabalhos com as caixas pretas não haviam sido iniciados até então. Representantes do Ministério da Defesa e especialistas as abriram pela primeira vez diante de jornalistas e representantes chineses e indianos.

Após isso, o módulo de gravação da memória foi depositado em um cofre lacrado, com o recolhimento de assinaturas dos presidentes da comissão, representantes do comitê de aviação e observadores internacionais.

Dronov também afirmou que os procedimentos públicos de abertura das caixas pretas e da memória do módulo de gravação são necessários para garantir a máxima transparência do processo.

Além disso, ele disse que a Rússia convidou 14 países a participar da decifragem, mas receberam respostas de apenas três: Reino Unido, EUA e China.

Das oito placas da caixa preta, três ficaram completamente destruídas, já que o material fica localizado na cauda da aeronave, que foi a parte atingida.

Os primeiros dados decifrados das caixas pretas serão divulgados na proxima segunda-feira (21), no Comitê Internacional de Aviação.

O caça russo foi abatido em 24 de novembro na fronteira turco-síria. Segundo Ancara, a aeronave teria invadido seu espaço aéreo.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.