Novos satélites vão aumentar precisão do Glonass no Ártico

Projeto para melhorar precisão do Glonass na Rússia e no Ártico requer US$ 7 mi

Projeto para melhorar precisão do Glonass na Rússia e no Ártico requer US$ 7 mi

TASS
Com segmento em órbitas inclinadas, sistema de localização por satélite apontará objetos nos territórios da Rússia e do Ártico com precisão de 0,6 metro

A agência espacial russa Roscosmos vai alocar US$ 7 milhões para melhorar a precisão do sistema de navegação por satélite Glonass na Rússia e no Ártico, segundo documento publicado no site de compras do Estado.

“Juntamente com os demais receptores e transmissores do sistema Glonass, esse novo segmento irá localizar objetos no território da Rússia e do Ártico com uma precisão de 0,6 metro”, lê-se no documento.

O projeto prevê a implantação de mais 4 a 6 satélites em órbitas inclinadas geoestacionárias. Essas órbitas têm inclinação entre as órbitas polares e equatoriais (geoestacionárias) e seu ângulo de inclinação é de quase 65 graus.

Segundo o documento publicado, a operação foi motivada por problemas no desenvolvimento de satélites de alta precisão Glonass-K e dificuldades em usar estações terrestres Glonass na Antártica.

Em abril deste ano, cientistas de Krasnoiarsk e São Petersburgo anunciaram planos de instalar de 4 a 7 novas estações do Glonass na Antártica até 2020. As estações se uniriam às três já existentes no continente.

Com material da agência de notícias Tass

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.