Nave tripulada Soiuz chega à Estação Espacial Internacional

O lançador Soiuz-FG decolou do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, às 03:03 da quinta-feira no horário local Foto: NASA

O lançador Soiuz-FG decolou do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, às 03:03 da quinta-feira no horário local Foto: NASA

Escotilha da nave, para transferência de tripulação, será aberta em algumas horas. Voo espacial durou pouco menos de seis horas.

A nave espacial russa Soiuz TMA-17M, se acoplou ao segmento russo da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) às 5h46 no horário de Moscou (23h46 de ontem em Brasília). Estão a bordo o cosmonauta russo Oleg Kononeko, e os astronautas americano Kjell Lindgren e japonês Kimiya Yui.

“A sonda se acoplou ao menor módulo de pesquisa, Rassvet”, disse um porta-voz da agência espacial russa Roscosmos.

A escotilha da nave será aberta dentro de algumas horas, após verificação da acoplagem.

Para Kononenko, de 51 anos, a atual missão é sua terceira na carreira de explorador espacial. O cosmonauta já passou 391 dias no espaço e fez três caminhadas espaciais.

Yui, de 45 anos, e Lindgren, 42, fazem sua primeira missão espacial.

Os cosmonautas Guennádi Padalka e Mikhail Kornienko e o astronauta norte-americano Scott Kelly estão esperando por eles no interior da estação.

O lançador Soiuz-FG decolou do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, às 03:03 da quinta-feira no horário local (18:03 de ontem em Brasília). Nove minutos após o lançamento, a nave espacial se separou do lançador e iniciou um voo autônomo de pouco menos de seis horas.

A expedição 44/45 estava programada para iniciar em 26 de maio, mas a Roscosmos teve que remarcar a data, após a falha em um lançamento portando a nave de carga Progress M-27M. No acidente do dia 8 de maio, a nave russa se desintegrou ao entrar na atmosfera.

Terra sob controle

No decorrer da missão a bordo da ISS, Kononenko fará uma experiência com controle remoto, a partir do espaço, de robôs posicionados na Terra. O experimento, chamado Contour-2, é uma iniciativa conjunta com a Alemanha.

“Enquanto estiver a bordo da estação, vamos fazer uma operação remota com dois robôs – um localizado no Instituto Central de Pesquisa de Complexos Robóticos, em São Petersburgo, e o outro, em um instituto em Munique”, disse Kononenko, em uma entrevista coletiva no Centro de Treinamento de Cosmonautas, nos arredores de Moscou, às vésperas do lançamento.

“O nosso objetivo é elaborar operações com robôs na Terra.”

O cosmonauta também ficará encarregado de acompanhar o crescimento de cristais em gravidade zero, da observação de condições climáticas e do reparo de módulos da estação.

Durante a missão, a tripulação irá receber e manejar duas naves de carga Progress, uma do Japão e outra dos EUA.

Publicado originalmente pela agência de notícias Tass

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.