Grupo chinês rejeita compra de jazida de bilionário russo

16 de novembro de 2012 Anatóli Djumailo
Millhouse, empresa do oligarca russo Roman Abramovich, não conseguiu encontrar comprador para uma das maiores jazidas de estanho do mundo: a Pirkakai, em Tchukotka. O único interessado, o grupo chinês YTG (Yunnan Tin Group), rejeitou a compra por não considerar o projeto vantajoso devido ao baixo conteúdo de mineral da jazida.
Roman Abramovich Foto: TASS
Roman Abramovich Foto: TASS

A Millhouse, empresa do oligarca russo Roman Abramovich, não conseguiu encontrar comprador para uma das maiores jazidas de estanho do mundo: a Pirkakai, em Tchukotka. O único interessado, o grupo chinês YTG (Yunnan Tin Group), rejeitou a compra por não considerar o projeto vantajoso devido ao baixo conteúdo de mineral da jazida. As informações são do jornal Kommersant.

A Pirkakai, quarta maior jazida de estanho do mundo, tem reservas de 228,5 mil toneladas de estanho e de 23 mil toneladas de tungstênio. O grupo YTG é o maior produtor e exportador de estanho do mundo.

A Millhouse comprou a licença para trabalhar na jazida de Pirkakai em 2008. No último verão, Abramovitch começou o processo de venda da jazida com intenção de receber pelo menos US$ 300 milhões. Três empresas –da China,  Malásia e Indonésia– mostraram interesse no projeto.

De acordo com a imprensa russa, a chinesa YTG foi a única realmente interessada nos ativos da Millhouse, mas no começo de novembro informou que não compraria o projeto na Rússia porque o conteúdo de mineral da jazida (0,25%) é demasiado baixo para seus critérios de investimento.

Os representantes da YTG explicaram que o desenvolvimento da jazida com menos de 0,3% de mineral é economicamente injustificado segundo os atuais preços de mercado (cerca de US$ 20,40 por tonelada).

Segundo o analista do grupo financeiro BKS Oleg Petropavlov, será difícil encontrar novos compradores, considerando as complexas condições geológicas e geográficas da jazida. “Na Rússia ninguém investe em jazidas de estanho desse tamanho”, diz Petropalov.

O desenvolvimento de Pirkakai sairá por cerca de US$ 300 milhões, e a extração deve começar em 2017. O volume de extração da jazida deve alcançar 6 milhões de toneladas por ano em 2018, com produção de 11,1 mil toneladas de estanho e 814 toneladas de tungstênio por ano. O período de vida da jazida é de até 29 anos (com uma extração estável de 20 anos).

Publicado originalmente pelo jornal Kommersant

 Topo