A Millhouse, empresa do oligarca russo Roman Abramovich, não conseguiu encontrar comprador para uma das maiores jazidas de estanho do mundo: a Pirkakai, em Tchukotka. O único interessado, o grupo chinês YTG (Yunnan Tin Group), rejeitou a compra por não considerar o projeto vantajoso devido ao baixo conteúdo de mineral da jazida. As informações são do jornal Kommersant.

A Pirkakai, quarta maior jazida de estanho do mundo, tem reservas de 228,5 mil toneladas de estanho e de 23 mil toneladas de tungstênio. O grupo YTG é o maior produtor e exportador de estanho do mundo.

A Millhouse comprou a licença para trabalhar na jazida de Pirkakai em 2008. No último verão, Abramovitch começou o processo de venda da jazida com intenção de receber pelo menos US$ 300 milhões. Três empresas –da China,  Malásia e Indonésia– mostraram interesse no projeto.

De acordo com a imprensa russa, a chinesa YTG foi a única realmente interessada nos ativos da Millhouse, mas no começo de novembro informou que não compraria o projeto na Rússia porque o conteúdo de mineral da jazida (0,25%) é demasiado baixo para seus critérios de investimento.

Os representantes da YTG explicaram que o desenvolvimento da jazida com menos de 0,3% de mineral é economicamente injustificado segundo os atuais preços de mercado (cerca de US$ 20,40 por tonelada).

Segundo o analista do grupo financeiro BKS Oleg Petropavlov, será difícil encontrar novos compradores, considerando as complexas condições geológicas e geográficas da jazida. “Na Rússia ninguém investe em jazidas de estanho desse tamanho”, diz Petropalov.

O desenvolvimento de Pirkakai sairá por cerca de US$ 300 milhões, e a extração deve começar em 2017. O volume de extração da jazida deve alcançar 6 milhões de toneladas por ano em 2018, com produção de 11,1 mil toneladas de estanho e 814 toneladas de tungstênio por ano. O período de vida da jazida é de até 29 anos (com uma extração estável de 20 anos).

Publicado originalmente pelo jornal Kommersant